Coronavírus é a 'maior crise que Europa enfrenta desde a 2ª Guerra', diz chefe do Parlamento Europeu

© AFP 2022 / NICOLAS TUCATMulher usando máscara enquanto pandemia de coronavírus atinge a Europa
Mulher usando máscara enquanto pandemia de coronavírus atinge a Europa - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Europa planeja gastar € 37 bilhões para reduzir os danos provocados pelo coronavírus, pois "nenhum governo europeu poderia combater a pandemia sozinho", segundo o Parlamento Europeu.

Empenhados em enfrentar os efeitos da COVID-19, os países da União Europeia reúnem esforços, reconhecendo que "a situação é muito grave".

Para tanto, conforme publicou o Parlamento Europeu, os sistemas de saúde dos países europeus irão receber apoio, incluindo financiamento de pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina, assim como a entrega de materiais.

A decisão vem logo após o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, afirmar:

"Desde o fim da Segunda Guerra Mundial nunca encaramos uma crise tão dramática como esta."

'Nada de austeridade'

Tendo em vista os efeitos negativos na economia provocados pelo coronavírus, o Parlamento Europeu também incentivou gastos para impulsionar os negócios e proteger os postos de trabalho no bloco.

"O outro compromisso é proteger os empregos, as empresas e a economia. Para fazer isso, chega de austeridade. Os países estão autorizados a gastar tudo o que é necessário para garantir apoio aos empregados, trabalhadores autônomos, empresas e bancos", anunciou o órgão.

Para tal, deverão ser injetados € 37 bilhões (cerca de R$ 190 bilhões) na economia.

Coronavírus na Europa

No continente, a Itália tem sido o país mais castigado, com mais de 1.400 mortes devido à COVID-19.

Por sua vez, a Espanha hoje possui mais de 6.300 infectados, enquanto o risco de proliferação continua sendo alto.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала