Erdogan acusa gregos de 'tratamento nazista' contra refugiados na fronteira

© REUTERS / Umit Bektas Migrantes caminham ao longo de uma estrada perto da vila de Karpuzlu, na cidade turca de Edirne, na fronteira com a Grécia, em 1º de março de 2020
 Migrantes caminham ao longo de uma estrada perto da vila de Karpuzlu, na cidade turca de Edirne, na fronteira com a Grécia, em 1º de março de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O tratamento da Grécia com milhares de refugiados que se reuniram na fronteira do país com a Turquia é comparável às atrocidades realizadas pela Alemanha nazista, afirmou o presidente turco Recep Tayyip Erdogan em meio à mais recente disputa de migrantes com a UE.

O presidente turco atacou a Grécia em um discurso nesta quarta-feira, alegando que o vizinho mediterrâneo de Ancara havia maltratado uma enxurrada de refugiados que estão tentando entrar na União Europeia (UE) através da Turquia.

"Não há diferença entre essas imagens da fronteira da Grécia e o que os nazistas fizeram", declarou Erdogan, aparentemente se referindo a fotografias de confrontos entre migrantes e a polícia de fronteira da Grécia.

Ele também anunciou que a Turquia manterá sua fronteira aberta para os migrantes que tentam entrar na Europa, até Bruxelas concordar em cumprir os compromissos de um acordo de 2016 que Ancara afirma não ter sido cumprido. A tática foi descrita por alguns como o equivalente a chantagem. Ambos os lados esperam negociar um novo acordo até o final de março.

O presidente turco tem tendência a acusar outras nações de comportamento nazista. Em 2017, ele acusou a Alemanha e a Holanda de empregar "práticas nazistas" contra cidadãos turcos e seu próprio governo. Quando os governos alemães locais entraram em conflito com Erdogan naquele mesmo ano, o líder turco alertou que os líderes europeus "reviveriam as câmaras de gás".

Mais recentemente, Erdogan usou o selo nazista para ir atrás de Tel Aviv. Em 2018, ele afirmou que "o espírito de Hitler ressurge em alguns dos governantes de Israel", acrescentando que o Estado judeu é "o país mais fascista e racista do mundo".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала