Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Netanyahu promete medidas de anexação 'imediata' de partes da Cisjordânia se for reeleito

© AP Photo / Ohad ZwigenbergPrimeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anuncia que procurará obter imunidade de acusações de corrupção, em Jerusalém, no dia 1 de janeiro de 2020
Primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anuncia que procurará obter imunidade de acusações de corrupção, em Jerusalém, no dia 1 de janeiro de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga no
O primeiro-ministro interino israelense, Benjamin Netanyahu, disse que a anexação do Vale do Jordão e outras partes da Cisjordânia era sua principal prioridade entre as "quatro principais missões imediatas".

Um dia antes de Israel realizar suas terceiras eleições legislativas em menos de 11 meses, o premiê israelense prometeu que, se ganhar as eleições, anexará partes do território palestino ocupado da Cisjordânia em questão de semanas.

"Isso vai acontecer dentro de semanas, dois meses no máximo, espero", disse Netanyahu em entrevista, 24 horas antes da abertura das urnas.

O premiê de Israel comentou que o comitê conjunto EUA–Israel de mapeamento (encarregado de elaborar esta anexação) começou a trabalhar há uma semana.

Durante entrevista, Netanyahu também listou suas outras prioridades como a assinatura de um tratado "histórico" de defesa com os EUA, principal aliado de Israel, e "erradicar a ameaça iraniana", sem dar mais detalhes.

© AP Photo / Manuel Balce CenetaPresidente dos EUA, Donald Trump, ao lado do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu após a assinatura do documento que reconhece a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã
Netanyahu promete medidas de anexação 'imediata' de partes da Cisjordânia se for reeleito - Sputnik Brasil
Presidente dos EUA, Donald Trump, ao lado do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu após a assinatura do documento que reconhece a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã

O plano de paz para o Oriente Médio apresentado pelo presidente americano, Donald Trump, no dia 28 de janeiro na Casa Branca dá luz verde a Israel para anexar a área e propõe um comitê para estabelecer os limites exatos do território a ser incorporado. O projeto é totalmente contrário ao direito internacional.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала