Marinha dos EUA acusa China de atacar um de seus aviões com laser

© Sputnik / Igor MaslovBoeing P-8 Poseidon da Marinha dos EUA durante os exercícios militares dos países da OTAN Sea Breeze-2019
Boeing P-8 Poseidon da Marinha dos EUA durante os exercícios militares dos países da OTAN Sea Breeze-2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Marinha dos Estados Unidos alegou que um de seus aviões teria sofrido um ataque a laser por parte de uma embarcação militar chinesa na semana passada, enquanto sobrevoava águas internacionais.

Em nota divulgada nesta quinta-feira, as forças navais dos EUA disseram que uma aeronave de patrulha do modelo Boeing P-8A Poseidon viajava sobre águas internacionais, a 600 km da ilha norte-americana de Guam, no Pacífico, no último dia 17, quando foi atingido por um laser invisível de um destróier chinês.

"O laser, que não era visível a olho nu, foi capturado por um sensor a bordo do P-8A. Os lasers de armas podem potencialmente causar sérios danos às tripulações e marinheiros, bem como aos sistemas de navios e aeronaves."

De acordo com a Marinha americana, a ação do destróier da China foi perigosa e pouco profissional, além de violar protocolos internacionais estabelecidos para evitar incidentes desse tipo, incluindo um memorando estabelecido pelo Pentágono e o Ministério da Defesa da China. 

​"As aeronaves da Marinha dos EUA voam rotineiramente no mar das Filipinas e tem sido assim há muitos anos. Os aviões e navios da Marinha dos EUA continuarão a voar, velejar e operar em qualquer lugar que o direito internacional permitir."

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала