MH370: investigador diz que piloto não cometeu suicídio e que 'sabe quem sequestrou o avião'

© AFP 2022 / MAL FAIRCLOUGH Uma aeronave da Malaysia Airlines (foto de arquivo)
Uma aeronave da Malaysia Airlines (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Especialista em aviação do canal de TV americano CNN diz que duvida que o piloto do voo MH370, Zaharie Ahmad Shah, tenha cometido suicídio e acredita que avião foi desviado para o Cazaquistão.

Quase seis anos após a tragédia do voo MH370 da Malaysia Airlines, diversas hipóteses têm sido consideradas sobre o fim do Boeing 777.

No documentário "MH370: The Untold Story" ("MH370: A História Por Contar", em tradução livre) do canal de TV Sky News, o ex-premiê australiano Tony Abbott declarou que ouviu de autoridades malaias que o piloto da aeronave, Zaharie Ahmad Shah, cometeu suicídio, explicando assim a causa do desaparecimento da aeronave.

Contudo, o suposto suicídio nunca foi confirmado publicamente, devido à ausência de provas e por o avião estar ainda desaparecido.

'Avião sequestrado'

Se alguns acreditam que a aeronave foi desviada por terroristas, o especialista em aeronáutica Jeff Wise do canal de TV americano CNN disse, no documentário, que a aeronave teria sido sequestrada por três passageiros a bordo.

"É muito simples. Alguém pegou o avião, o tornou indetectável, deu um giro de 180°, voou a noroeste, e sumiu do radar", afirmou.

Um dos fatos mais curiosos no desaparecimento tem sido o comportamento da Unidade de Dados de Satélite (SDU, na sigla em inglês) da aeronave.

Segundo os investigadores, o aparelho foi desligado e reativado horas antes do desaparecimento.

Para Wise, o piloto não teria manipulado o SDU, o que seria uma tarefa só possível de se realizar fora da cabine.

"Não há uma história plausível de como ele teria reiniciado a SDU, e se o tivesse feito, só por uma incrível cadeia de coincidências poderia ter pilotado o avião de tal forma que ele gerou os dados Inmarsat [dados das telecomunicações da aeronave] e mesmo assim estes não deram no local de buscas [do avião]", acrescentou.

É válido lembrar que os dados recebidos pelo SDU da aeronave foram usados para determinar o local das buscas, a oeste do litoral da Austrália.

Contudo, a aeronave não foi encontrada na região.

'Conspiração russa'

Para Wise, a aeronave tinha a bordo três suspeitos de sabotagem de origem russa.

Os indivíduos teriam desviado o Boeing 777 de sua rota original e aterrissado em algum lugar do Cazaquistão.

No entanto, destroços da aeronave já foram encontrados no oceano Índico, o que Wise qualificou como sendo um "estratagema russo" para enganar os investigadores.

Tragédia

O voo MH370 da Malaysia Airlines sumiu dos radares enquanto sobrevoava o golfo da Tailândia logo após decolar do Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, na Malásia, em 8 de março de 2014.

Com destino a capital chinesa Pequim, o Boeing 777 carregava 227 passageiros e 12 tripulantes.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала