Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Cidades de hoje não são adequadas para mulheres, afirma Banco Mundial

© Folhapress / Alice VergueiroMarcha das Mulheres Negras em São Paulo contra a discriminação e a desigualdade (arquivo)
Marcha das Mulheres Negras em São Paulo contra a discriminação e a desigualdade (arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga no
As cidades da atualidade em todo o mundo não são adequadas para mulheres, de acordo com o Banco Mundial em seu comunicado à imprensa.
"Em geral, as cidades são mais adequadas para homens heterossexuais, cisgêneros e sem limitações funcionais", diz o documento que cita a gerente de Desenvolvimento Urbano e Territorial, Gerenciamento de Riscos de Desastres e Resiliência do Banco Mundial, Maitreyi Bordia Das.

O relatório acrescenta que, em particular, "a falta de ruas, parques e banheiros públicos bem iluminados que funcionem pode criar barreiras intransponíveis para muitas mulheres, meninas e minorias sexuais e de gênero".

O ambiente urbano, ele continua, influencia diretamente o ambiente físico e social.

"Os espaços públicos não são neutros quanto ao gênero; eles têm significados diferentes para pessoas com diferentes identidades sociais e de gênero", o documento destaca ao citar o diretor de Desenvolvimento Urbano e Territorial, Gerenciamento de Riscos de Desastres e Resiliência do Banco Mundial, Sameh Wahba.

© flickr.com / World Bank Photo CollectionA sede do Banco Mundial em Washington
Cidades de hoje não são adequadas para mulheres, afirma Banco Mundial - Sputnik Brasil
A sede do Banco Mundial em Washington

Na sua opinião, esses espaços públicos diferem consideravelmente de acordo com sua acessibilidade, segurança, capacidade de estudar na escola ou colocar seus empregos.

"Homens, mulheres e minorias sexuais e de gênero têm percepções diferentes dos espaços públicos e da cidade em geral", escreve Wahba.

Ele também acredita que "é nossa responsabilidade pensar em como criar o ambiente, levando em consideração os interesses de todos os usuários".

O comunicado à imprensa destaca seis aspectos da vida urbana que exigem a criação de um novo tipo de ambiente para mulheres, meninas e representantes de minorias sexuais e de gênero.

É sobre a acessibilidade que pressupõe a falta de barreiras e limitações; a possibilidade de se deslocar pela cidade de uma maneira fácil; segurança e liberdade da violência; saúde e higiene; estabilidade climática; a segurança da posse de terra e casa.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала