Sucessor do general iraniano Soleimani poderá ter 'o mesmo destino', diz enviado especial dos EUA

© AP Photo / Escritório do líder supremo iranianoO comandante do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, general-major Qassem Soleimani, (no centro) na reunião com o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, e comandantes em Teerã (foto de arquivo)
O comandante do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, general-major Qassem Soleimani, (no centro) na reunião com o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, e comandantes em Teerã (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O enviado especial dos EUA para o Irã afirmou que o sucessor do general Qassem Soleimani terá o "mesmo destino" de seu antecessor, caso se engaje em "matar norte-americanos".

O representante especial dos EUA para o Irã, Brian Hook, disse que o presidente dos EUA deixou claro que "qualquer ataque contra americanos ou contra os interesses dos EUA terão reposta decisiva".

Quando perguntado sobre a operação norte-americana que vitimou o general iraniano Qassem Soleimani, Hook disse que o sucessor do general, Esmail Ghaani, também pode vir a ser assassinado.

"Se [Esmail] Ghaani seguir pelo mesmo caminho de matar norte-americanos, então ele terá o mesmo destino", disse Brian Hook ao jornal Asharq al-Awsat.

Brian Hook, no entanto, negou estar fazendo uma ameaça nova, lembrando que o presidente dos EUA já havia feito manifestações nesse sentido.

"Não estou fazendo uma ameaça nova. O presidente sempre disse que responderia de maneira decisiva para proteger os interesses norte-americanos", disse.

© REUTERS / Simon DawsonBrian Hook, representante especial dos EUA para o Irã, disse que sucessor de Soleimani pode ter 'o mesmo destino' do general iraniano (foto de arquivo)
Sucessor do general iraniano Soleimani poderá ter 'o mesmo destino', diz enviado especial dos EUA - Sputnik Brasil
Brian Hook, representante especial dos EUA para o Irã, disse que sucessor de Soleimani pode ter 'o mesmo destino' do general iraniano (foto de arquivo)

Para ele, o assassinato de Qassem Soleimani foi uma resposta ao seu papel no planejamento de ataques, executados por milícias pró-iranianas, contra forças dos EUA no Oriente Médio, reportou a Reuters.

"Acho que agora os iranianos sabem que não podem atacar os EUA e saírem ilesos", disse.

Esmail Ghaani foi nomeado comandante da força Quds, tropa de elite do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica e responsável pela sua atuação internacional, após o assassinato de Qassem Soleimani.

Ghaani declarou que "seguirá no caminho luminoso do seu antecessor", cujo objetivo era pressionar pela retirada das forças norte-americanas do Oriente Médio.

O representante especial dos EUA para o Irã, Brian Hook, concedeu a entrevista nesta quarta-feira (22) durante sua participação no fórum de Davos, na Suíça.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала