Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Secretário da Cultura de Bolsonaro cita ministro de Hitler e gera onda de ódio na web (VÍDEO)

© Folhapress / Andre Coelho/FolhapressSecretário da Cultura da gestão do presidente Jair Bolsonaro, Roberto Alvim, Brasília, 16 de janeiro de 2020
Secretário da Cultura da gestão do presidente Jair Bolsonaro, Roberto Alvim, Brasília, 16 de janeiro de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga no
A Secretaria Especial da Cultura postou na noite de quinta-feira (16) um vídeo para "promover as artes" brasileiras, usando trecho muito parecido com discurso de ministro nazista de Hitler. O parafraseado do secretário da Cultura do Brasil está gerando repúdio na web.

Em um vídeo de quase sete minutos, o secretário da Cultura do governo Jair Bolsonaro, Roberto Alvim, trouxe à tona "iniciativa inédita no país" de promoção das artes, destinando R$ 20 milhões para projetos de ópera, teatro, pintura, escultura, literatura, música e histórias em quadrinhos das cinco regiões brasileiras.

O discurso do secretário Roberto Alvim foi ecoado com trilha sonora nem um pouco brasileira e parafraseado do ministro da Propaganda de Adolf Hitler, Joseph Goebbels.

"A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada", declarou Alvim no vídeo, que foi posteriormente deletado da página oficial da Secretaria Especial da Cultura no YouTube.

As palavras usadas pelo secretário da Cultura estão ecoando rapidamente pela web, tonando "Nazismo", "Goebbels", "Roberto Alvim" e "Cultura" uns dos assuntos mais comentados desta sexta-feira (17) no Twitter.

O jornalista George Marques expôs parte do discurso do ministro nazista para comparação com o parafraseado do secretário da Cultura do Brasil. De acordo com o jornalista, "Alvim ultrapassou todos os limites".

​Para a deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ), além do parafraseado, o vídeo da Secretaria da Cultura do Brasil ainda usou uma "estética nazista".

​O jornalista Leonardo Sakamoto escreveu que o governo Bolsonaro "saiu do armário" com a publicação do vídeo controverso.

​Quando pode chamar alguém de nazista sem medo?

​A nadadora brasileira Joanna Maranhão gostaria de saber o que os judeus acharam do discurso.

​Depois de quatro horas da publicação do vídeo, o secretário da Cultura agradeceu o apoio recebido e desejou que "Deus abençoe todos vocês".

A diplomacia alemã no Brasil se pronunciou.

​​Juntando todos os tópicos relacionados ao discurso do secretário da Cultura do governo Bolsonaro, já havia mais de 236 mil tweets no momento da publicação desta matéria.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала