Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Não é fome? Mordidas de tubarão em humanos têm outra explicação, segundo pesquisadora

Nos siga no
Enquanto alguns nutrem medo de tubarão e acreditam que o animal ataca só por fome, pesquisadora australiana explicou que percepção geral sobre o animal é errada e que o mesmo morde por curiosidade.

Embora ataques de tubarões possam ser fatais, as mordidas do animal têm uma razão que vai além de sua fome, segundo a pesquisadora australiana Blake Chapman.

Conforme publicou o portal 9News, Chapman acredita que a curiosidade do animal em saber o que há no ambiente em que ele se encontra motiva muitas de suas mordidas.

Desta forma, os ataques de tubarão teriam menor relação com um confronto entre predador e presa do que imaginado.

"Existe pouca evidência que sugere que as mordidas de tubarão são de natureza predatória, especialmente as de espécies maiores. Dizer que eles estão seguindo aquilo que tem medo deles não é necessariamente verdadeiro", afirmou a pesquisadora.

Medo de tubarão

A declaração de Chapman se deu enquanto uma pesquisa mostrou que 75% dos australianos têm medo de tubarão.

Contudo, tal medo não seria natural dos seres humanos, mas fruto de uma concepção que, segundo Chapman, é errada. A razão disso seria a imagem de predador passada por filmes que contribuiriam para o medo de muitas pessoas, inclusive aquelas que moram a quilômetros do litoral.

"Pessoas como surfistas, que possuem experiências regularmente na água, têm, naturalmente, menos medo de tubarão e ao passar por experiências positivas ao redor de tubarões, isso pode mitigar tal medo que temos", afirmou.
© AFP 2021 / CAMERON GRANTMergulhador francês interagindo com um tubarão na Polinésia Francesa
Não é fome? Mordidas de tubarão em humanos têm outra explicação, segundo pesquisadora - Sputnik Brasil
Mergulhador francês interagindo com um tubarão na Polinésia Francesa

Enquanto muitos acreditam que o animal é capaz de detectar o medo de pessoas pelo seu olfato, os tubarões são sensíveis à atividade elétrica na água, característica que os ajudaria a observar melhor o ambiente em que se encontram.

"Quando você tem medo seu coração bate em ritmo mais acelerado, e isso é algo irregular que provavelmente eles detectam", disse Chapman.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала