EUA não querem guerra com Irã, mas atacarão se americanos morrerem, diz diplomata

© AP Photo / Vahid SalemiManifestantes rasgam bandeira norte-americana na capital do Irã, Teerã, em meio a protestos após a morte de Qassem Soleimani
Manifestantes rasgam bandeira norte-americana na capital do Irã, Teerã, em meio a protestos após a morte de Qassem Soleimani - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente dos EUA, Donald Trump, não quer uma guerra com o Irã e espera uma solução diplomática para o conflito, mas Washington retaliará se os cidadãos dos EUA forem mortos como resultado das ações de Teerã, disse nesta quarta-feira um diplomata estadunidense.
"Acho que a atitude do presidente é que ele certamente gostaria de conversar e ter uma solução diplomática aqui. Não queremos uma guerra, e é uma opção dos iranianos neste momento", afirmou o embaixador dos EUA na Alemanha, Richard Grenell, ao tabloide alemão Bild.

"Se eles cruzarem a linha vermelha de matar americanos, então, eu acho, eles serão cumpridos - como o presidente Trump disse, com uma resposta incrível", acrescentou.

O embaixador enfatizou que os Estados Unidos fariam todo o possível para proteger suas tropas, diplomatas e interesses.

"O presidente Trump disse desde o início que não queremos uma guerra, não estamos interessados em uma guerra. É por isso que Donald Trump foi realmente eleito, e fizemos tudo para garantir que isso não aconteça. Presidente Trump teve uma paciência incrível, como vimos nos últimos meses", prosseguiu o diplomata.

Na quarta-feira, o Corpo Revolucionário da Guarda Islâmica do Irã (IRGC) iniciou uma operação de vingança em resposta ao assassinato de Washington do comandante do IRGC, Qassem Soleimani, ocorrido na última sexta-feira em Bagdá.

Segundo os militares iraquianos, cerca de 22 mísseis atingiram o Iraque, com 17 deles atingindo a base aérea americana Ain Al-Asad e cinco atacando a cidade iraquiana de Arbil, visando a sede da coalizão liderada pelos EUA.

De acordo com relatos da mídia iraniana, 80 militares dos EUA foram mortos e cerca de 200 outros ficaram feridos, enquanto os Estados Unidos não registraram vítimas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала