Ocidente está artificialmente criando tensões no golfo Pérsico, afirma Sergei Lavrov

© Sputnik / Vitaly VelousovMinistro da Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, (centro) se reúne com seu colega iraniano, Javad Zarif, (à esquerda) e turco, Mevlut Cavusoglu (à direita), em 29 de Outubro de 2019
Ministro da Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, (centro) se reúne com seu colega iraniano, Javad Zarif, (à esquerda) e turco, Mevlut Cavusoglu (à direita), em 29 de Outubro de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em maio, os Estados Unidos enviaram um deslocamento de embarcações de ataque para o Oriente Médio citando um "perigo" não especificado para os interesses americanos na região. Desde então, o golfo Pérsico assistiu inúmeros incidentes perigosos.

O governo russo está preocupado com as crescentes tensões vividas na região e identifica tentativas de aumentá-las, afirmou Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, nesta segunda-feira (30).

"Nós vemos como alguns dos nossos colegas ocidentais artificialmente tentam inflamar a situação. A Rússia e o Irã contrapõem a essas tentativas propostas sobre o estabelecimento de uma cooperação em regime de igualdade e mutuamente vantajosa nessa região", declarou Lavrov durante um encontro com seu homólogo iraniano, Mohammad Javad Zarif.

A declaração surge após o Pentágono afirmar no domingo (29) que forças dos EUA atacaram em território sírio e iraquiano o grupo Kata’ib Hezbollah, um grupo paramilitar xiita iraquiano que foi formado durante a Guerra do Iraque.

Tensões no golfo Pérsico se intensificam

Tensões diplomáticas entre Estados Unidos e Irã escalaram para tensões militares em maio, quando os Estados Unidos enviaram um grupo de ataque de porta-aviões ao Oriente Médio devido ao que Washington descreve como "perigo iraniano".

© AFP 2022 / MOHAMMED AL-SHAIKHMarinheiros no convés do porta-aviões USS George H.W. Bush (CVN 77), no Golfo Pérsico
Ocidente está artificialmente criando tensões no golfo Pérsico, afirma Sergei Lavrov - Sputnik Brasil
Marinheiros no convés do porta-aviões USS George H.W. Bush (CVN 77), no Golfo Pérsico

Desde então, o golfo Pérsico presenciou uma série de incidentes perigosos, como ataques de sabotagem de petroleiros, apreensão de embarcações e derrubada de drones, com Teerã e Washington se acusando mutuamente de responsabilidade e ameaçando com o surgimento de uma guerra.

Em um acontecimento à parte ocorrido durante o verão, os Estados Unidos anunciaram a formação de uma coalizão naval com o objetivo de proteger embarcações comerciais no golfo Pérsico, estreito de Ormuz e golfo de Omã. Teerã, por sua vez, insistiu para que as potências externas se mantenham longe do Golfo, propondo a criação de um esforço de segurança regional para garantir a navegação segura em águas locais.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала