Ações tomadas contra Sputnik pelas autoridades da Estônia são perseguição, diz chancelaria russa

© Sputnik / Ramil SitdikovRepresentante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, vestindo colete da Sputnik em apoio aos jornalistas perseguidos pelas autoridades estonianas
Representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, vestindo colete da Sputnik em apoio aos jornalistas perseguidos pelas autoridades estonianas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, realizou o briefing semanal da entidade relacionado com as questões atuais da política externa envergando um colete amarelo, tendo se solidarizado com a ação de apoio à Sputnik Estônia.

Zakharova denominou de perseguição as ações das autoridades deste país báltico em relação aos jornalistas da Sputnik Estônia. "Eles não violaram nem as leis do país, nem a ética profissional".

"Esta perseguição, uma verdadeira perseguição, está decorrendo não só contra a Sputnik Estônia, mas também contra cada funcionário que faz seu trabalho – isto é inadmissível. Experimentem isso cada um de vocês, tal como experimentam estes coletes com a inscrição Sputnik", afirmou Zakharova.

"Imaginem como é estar no lugar de funcionários que, em vez de estarem se preparando para as festas e fazendo o seu trabalho com qualidade, estão pensando sobre o seu futuro, sem terem violado, enfatizo, sem terem violado nenhuma regra – nem do pais onde se encontram, nem relacionada com a ética professional", acrescentou a representante oficial do ministério.

Ainda hoje, uma fonte de alto nível em Moscou afirmou que patrocinadores britânicos estão por trás das ações de perseguição tomadas pelas autoridades do país báltico contra a Sputnik.

Anteriormente, funcionários da Sputnik Estônia confirmaram que receberam da direção do Departamento da Polícia e do serviço de controle fronteiriço do país ameaças de processos criminais contra eles, caso não cessem suas relações de trabalho com a organização sede, a agência de notícias Rossiya Segodnya, até 1° de janeiro de 2020.

No mês passado, a Sputnik Estônia denunciou que as autoridades do país estão fazendo tentativas deliberadas para expulsar a agência do país, apresar de a maioria dos seus empregados serem cidadãos da Estônia.

Para além da pressão direta sobre os jornalistas, as tentativas de interferência financeira no trabalho do grupo de mídia se tornaram mais frequentes, informou a assessoria de imprensa da agência.

A Estônia é o único país báltico que dispõe de uma redação completa e de um escritório da agência de notícias e rádio Sputnik. A equipa é composta por 35 pessoas, 33 das quais são cidadãos estonianos que exercem suas profissões tendo contratos de trabalho com a agência de notícias Rossiya Segodnya.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала