Aliado dos EUA, Japão pode ajudar a salvar acordo nuclear com o Irã, diz Rouhani

© REUTERS / Charly TriballeauLíder iraniano Hassan Rouhani ao lado do premiê japonês Shinzo Abe em Tóquio
Líder iraniano Hassan Rouhani ao lado do premiê japonês Shinzo Abe em Tóquio - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente iraniano Hassan Rouhani exortou o Japão a ajudar a salvar o marco do acordo nuclear de 2015, que foi extinto pela "retirada irracional" dos EUA no ano passado.

O Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA) de 2015 sobre o programa nuclear iraniano é "um acordo extremamente importante" para Teerã, disse Rouhani durante uma reunião com o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe em Tóquio nesta sexta-feira.

"É por isso que condenamos veementemente a retirada unilateral e irracional dos Estados Unidos [do acordo] ", declarou Rouhani a repórteres. "Espero que o Japão e outros países do mundo trabalhem duro para ajudar a manter o acordo nuclear em vigor".

Abe, por sua vez, instou o Irã a desempenhar um papel "construtivo" no Oriente Médio e a cumprir plenamente o acordo nuclear.

O JCPOA impôs restrições abrangentes ao programa nuclear iraniano em troca da suspensão das sanções internacionais contra o Irã e permitiu que as instalações nucleares do país fossem inspecionadas pelo órgão de vigilância patrocinado pela ONU, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

© AP Photo / Brendan SmialowskiEm junho de 2015, um conjunto de países aprovou, na cidade suíça de Lausanne, o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), que regula o programa nuclear do Irã
Aliado dos EUA, Japão pode ajudar a salvar acordo nuclear com o Irã, diz Rouhani - Sputnik Brasil
Em junho de 2015, um conjunto de países aprovou, na cidade suíça de Lausanne, o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), que regula o programa nuclear do Irã

O acordo fracassou depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, abandonou o acordo no ano passado e restabeleceu vários lotes de sanções contra Teerã.

Trump citou supostas violações do acordo pelo Irã como o motivo da retirada. O Irã negou essa acusação, enquanto vários relatórios da AIEA confirmaram que a República Islâmica estava cumprindo o acordo. Os EUA que deixaram o JCPOA também foram fortemente criticados pela União Europeia (UE), China e Rússia, todos signatários do acordo.

Um ano depois, o Irã começou a aumentar seu estoque de urânio enriquecido e elevou o nível de enriquecimento além dos limites estabelecidos pelo JCPOA. Autoridades em Teerã disseram que isso pode ser revertido rapidamente se a UE convencer os EUA a voltar ao acordo nuclear ou encontrar maneiras de aliviar o ônus das sanções do Irã.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала