Moscou destaca 'hipocrisia' em fala de ex-comandante da OTAN

© Sputnik / Yevgeny Biyatov / Abrir o banco de imagensBriefing da representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, em Moscou (arquivo)
Briefing da representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, em Moscou (arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, rebateu falas de um ex-comandante da OTAN.

Wesley Clark, ex-comandante das forças da OTAN na Europa, que deu ordens para bombardear a Iugoslávia em 1999, trabalha agora com empresas que conduzem negócios na autoproclamada República do Kosovo, denunciou Zakharova, nesta quarta-feira (18) durante entrevista coletiva.

Os comentários de Zakharova rebatem afirmações de Clark, que acusou a Rússia em uma entrevista recente nos EUA, de ter usado os Bálcãs para interesses políticos, além de ter supostamente subornado autoridades locais para atingir esses objetivos.

"Wesley Clark deveria falar sobre quanta compensação ele recebeu de Kosovars por afastar a região da Sérvia [...] O general americano aposentado está agora no conselho de administração de diretores de uma companhia canadense de energia chamada Envidity", disse Zakharova.

Segundo a representante da chancelaria russa, esta empresa tem o direito de explorar recursos naturais em quase um terço do território do Kosovo. Além disso, Clark está associado à Geo Minerale, uma empresa que atua na exportação de sucata da região, disse ela.

"As ordens para bombardear a região foram feitas para receber contratos lucrativos mais tarde? Portanto, quando falam sobre certos interesses egoístas, devem, antes de tudo, procurar entre as pessoas sobre as quais acabei de falar", afirmou.

Em 24 de março de 1999, ignorando a aprovação do Conselho de Segurança da ONU, a OTAN lançou uma campanha de bombardeio na Iugoslávia para intervir no confronto armado entre o Exército de Libertação do Kosovo, uma milícia étnica albanesa que apoiava a independência do Kosovo desde os anos 1990, e a Sérvia. A operação da OTAN terminou em 10 de junho com a morte de um total de cerca de 2,5 mil pessoas, incluindo 89 crianças.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала