Vem à tona documento sobre como EUA poderiam ter atacado URSS de maneira inusitada

© flickr.com / NASA JohnsonÔnibus espacial Challenger sendo lançado em 28 de janeiro de 1986 (foto de arquivo)
Ônibus espacial Challenger sendo lançado em 28 de janeiro de 1986 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Relatório feito em 1976 mostra que cientistas soviéticos acreditavam que EUA poderiam usar ônibus espacial Space Shuttle para lançar um ataque nuclear contra a URSS.

Segundo os cientistas, encabeçados pelo acadêmico soviético Mstislav Keldysh, o Space Shuttle poderia portar e largar mísseis nucleares contra complexos da indústria militar e administrativos soviéticos durante a Guerra Fria.

O original em russo do relatório foi publicado pelo historiador de cosmonáutica, Pavel Shubin.

Além disso, a hipótese da destruição de alvos móveis ou não detectados anteriormente pelo ônibus espacial era considerada real. Caso isso acontecesse, a URSS perderia meios vitais para sua defesa.

O relatório, assinado por Keldysh em 1976, também dizia que uma vez lançado a partir da base americana de Vandenberg, na Califórnia, o ônibus espacial atravessaria os céus da União Soviética e seus aliados em 70-80 minutos, "desde a fronteira ocidental da Alemanha Oriental e Checoslováquia, até as fronteiras orientais da URSS".

Ameaça pior seria a passagem do veículo espacial através do Polo Sul, o que dificultaria o trabalho de detecção do inimigo nos céus.

De acordo com modelos criados em computador, o ônibus espacial poderia lançar sua carga atômica de uma altitude de 67 km, o que em caso de formação de nuvens ionizadas de plasma tornaria a identificação do objeto difícil pelos meios de defesa no solo.

Contagem regressiva

Além disso, os cientistas acreditavam que a carga alcançaria a superfície terrestre em três ou quatro minutos, tendo Moscou como alvo.

Ao estudar dados americanos, os especialistas soviéticos descobriram que das quatro trajetórias planejadas para o Space Shuttle, duas coincidiam com as consideradas para um ataque.

Contudo, um ataque com mísseis intercontinentais seria mais vantajoso do que via ônibus espacial, segundo os cientistas.

Cosmódromo disfarçado e reação soviética

Ainda na opinião dos soviéticos, o cosmódromo de lançamentos civil de Cabo Canaveral, na Flórida, seria um mero disfarce para operações militares.

Ao ouvir sobre a possibilidade de tal modo de ataque, o secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética, Leonid Brezhnev, ordenou a construção do veículo espacial reutilizável Buran, conforme declarou à Sputnik o especialista em aviação e astronáutica, Vadim Lukashevich.

"Este documento é verdadeiramente único, nunca alguém o tinha visto até os dias de hoje", declarou o especialista ao comentar a importância do documento.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала