'Golpista Jeanine Áñez anuncia mandado de prisão contra minha pessoa', diz Evo Morales

© AP Photo / Eduardo VerdugoMandatário deposto da Bolívia, Evo Morales, concede entrevista na Cidade do México, na noite do dia 14 de novembro de 2019 (foto de arquivo)
Mandatário deposto da Bolívia, Evo Morales, concede entrevista na Cidade do México, na noite do dia 14 de novembro de 2019 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ex-presidente da Bolívia afirma que os crimes dos quais é acusado foram cometidos pela própria autoproclamada presidente interina.

A presidente interina de Bolívia, Jeanine Áñez, disse anteriormente que Morales "sabe que tem contas a acertar com a justiça e é isso que terá de ser", se mostrando segura de que o mandado de prisão seria emitido "nos próximos dias".

Morales, por sua vez, afirmou que "um mês após o massacre na [cidade] de Sacaba", quando as ações excessivas dos militares e policiais contra civis deixaram mortos e feridos, "ninguém foi levado à Justiça".

​A golpista Áñez, tal como nas ditaduras, manda e anuncia uma ordem de prisão contra a minha pessoa, por terrorismo e sedição. Enquanto os que cometeram sedição, terrorismo e genocídio foram ela, Camacho e Mesa, massacrando, assassinando e sequestrando as minhas irmãs e irmãos.

"Contudo, gente humilde, dirigentes sociais e políticos que lutam pela democracia são perseguidos e presos pelo governo de fato. Não liberar presos políticos nem garantir salvo-condutos é também ditadura", sublinhou o ex-presidente boliviano.

Anteriormente Evo Morales declarou que os organizadores do "golpe de Estado", nomeadamente o ex-presidente da Bolívia Carlos Mesa, Luís Fernando Camacho, político considerado como um dos principais impulsionadores dos protestos, para além da Jeanine Áñez, estão tentando culpá-lo pela morte de mais de duas dezenas de pessoas durante os protestos que assolaram o país sul-americano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала