Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Corrida armamentista? Confira os avanços tecnológicos da Rússia em 2019 após fim do Tratado INF

© Foto / Ministério da Defesa da Federação da Rússia / Abrir o banco de imagensMomento exato do lançamento de míssil interceptador realizado em 30 de agosto pelo Exército russo (foto de arquivo)
Momento exato do lançamento de míssil interceptador realizado em 30 de agosto pelo Exército russo (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga no
Em 2019 a Rússia desenvolveu armamentos modernos e sem par, enquanto Tratado INF chegou ao fim após saída dos EUA e da Rússia.

Enquanto as relações entre Washington e Moscou continuam tensas, a Rússia marcou o ano com o lançamento de mísseis e apresentando diversos equipamentos bélicos considerados altamente modernos, sendo muitos deles sem análogo.

No entanto, os avanços também se deram enquanto os EUA decidiram se retirar de um dos instrumentos que impediam uma corrida armamentista com a Rússia, o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, mais conhecido como Tratado INF.

Ao conceder entrevista à Sputnik Mundo o cientista político russo Dmitry Evstafiev comentou sobre uma suposta nova corrida armamentista entre os EUA e a Rússia.

"A questão não é desenvolver mísseis de curto ou médio alcance, senão ter ao menos algumas ferramentas de dissuasão da corrida armamentista que os EUA tentam iniciar. Para a Rússia seria totalmente errôneo e pouco perspicaz envolver-se na corrida armamentista nas condições e formatos propostos por Washington", declarou o especialista.

Entretanto, as conquistas da Rússia no campo tecnológico militar têm sido notórias.

Estação Filin

Um dos novíssimos equipamentos de defesa do país em 2019 foi o aparelho de interferências óptico-visuais 5P-42 Filin.

© Foto / RoselectronicsEstação de interferências óticas Filin
Corrida armamentista? Confira os avanços tecnológicos da Rússia em 2019 após fim do Tratado INF - Sputnik Brasil
Estação de interferências óticas Filin

Desenvolvido para a Marinha russa, o equipamento emite rajadas de potentes raios de luz que podem desabilitar o inimigo durante horas escuras do dia. Além disso, o armamento é capaz de cegar, assim como causar náuseas e desorientação no inimigo.

Tsirkon

Também o país desenvolveu o míssil hipersônico Tsirkon, cujo alcance máximo ultrapassa 1.000 km. Além disso, a velocidade do armamento é de Mach 9, o que dificulta sua interceptação, enquanto seu voo é imprevisível.

O míssil pode destruir tanto alvos terrestres como marítimos, inclusive porta-aviões.

Prevê-se que o Tsirkon fará parte do arsenal da nova corveta russa Gremyaschy e terá provas a partir do submarino nuclear Kazan.

Avangard

Outro míssil hipersônico russo que entrou para o arsenal em 2019 é o Avangard. Uma das vantagens do armamento é a capacidade de evadir as defesas antimísseis de qualquer adversário devido à sua ogiva planadora.

"São impossíveis de interceptar pelos sistemas de defesa antimísseis existentes e em desenvolvimento [...] Os meios de detecção terrestres são incapazes de calcular o voo do Avangard, por isso agora os EUA pensam em lançar ao espaço uma grande quantidade de satélites com novos sensores de detecção infravermelha", declarou à Sputnik Mundo o diretor comercial da revista Arsenal Otechestva, Aleksei Leonkov.
Kinzhal

Em agosto, caças russos MiG-31K participaram pela primeira vez da competição aérea Aviadarts com o míssil hipersônico Kinzhal nos jogos militares internacionais EXÉRCITO 2019.

Também no início deste mês, o míssil foi testado em um campo de treinamento no Ártico. Na ocasião, o armamento alcançou velocidade Mach 10, ou seja, quase 10 vezes a velocidade do som.

© Sputnik / Ilia Pitalev / Abrir o banco de imagensO caça russo MiG-31 equipado com mísseis balísticos Kinzhal
Corrida armamentista? Confira os avanços tecnológicos da Rússia em 2019 após fim do Tratado INF - Sputnik Brasil
O caça russo MiG-31 equipado com mísseis balísticos Kinzhal

Além disso, o armamento é capaz de percorrer 2.000 km e portar tanto ogivas nucleares como convencionais. O armamento é destinado a destruir porta-aviões, cruzadores e destróieres.

Modernização do Exército

Além disso, o material bélico da Rússia foi modernizado em quase 70%.

"Gostaria de destacar todo o exitoso cumprimento do Programa Estatal de Armamento, que permitiu realizar uma renovação cardinal das Forças Armadas", disse o presidente russo Vladimir Putin em uma reunião do Conselho de Segurança Nacional de seu país neste ano.

O presidente também já destacou que os novos equipamentos estão anos à frente de seus análogos estrangeiros.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала