Possível candidato à presidência boliviana rebate acusações de terrorismo

© REUTERS / Carlos Garcia RawlinsApoiadores de Evo Morales empunham a bandeira Wiphala em novos protestos em La Paz, em 14 de novembro de 2019
Apoiadores de Evo Morales empunham a bandeira Wiphala em novos protestos em La Paz, em 14 de novembro de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O governo interino da Bolívia apresenta recursos penais sem provas porque as acusações de terrorismo e sedição contra o Movimento ao Socialismo (MAS) são falsas, disse um possível candidato presidencial por esse partido.

Em entrevista à Sputnik, Andrónico Rodríguez Ledesma, apontado como possível sucessor do ex-presidente Evo Morales, afirmou nesta quarta-feira que está pronto para concorrer nas próximas eleições presidenciais como representante da esquerda, apesar da campanha de difamação que ele acusa a direita boliviana de estar conduzindo. 

"Eles [os que compõem o governo de fato] nos culpam de separatismo e terrorismo. Eles me culparam de liderar um movimento armado ou de defender o narcotráfico, totalmente falso. Estão entrando com recursos penais sem nenhuma prova" disse o jovem líder cocalero.

Na última semana, o parlamento boliviano aprovou uma lei que anula o resultado das eleições presidenciais de 20 de outubro, vencidas pelo então presidente Evo Morales mas amplamente contestada por opositores. Em seguida, a autoproclamada presidenta interina, Jeanine Áñez, confirmou os preparativos para a realização de novas eleições, ainda sem data confirmada. 

​A princípio eleito em primeiro turno no mês passado, Morales renunciou ao cargo de presidente no último dia 10 em meio a pressões internas e externas contra o seu governo, acusado de desrespeitar a Constituição ao buscar mais um mandato e de lucrar com uma possível manipulação de resultados nas urnas. Atualmente, ele se encontra no México, onde recebeu asilo político.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала