Putin chama proliferação de mísseis de curto e médio alcance de ameaça após saída dos EUA do INF

© Sputnik / Aleksei Druzhinin / Abrir o banco de imagensPresidente russo Vladimir Putin realiza reunião com membros permanentes do Conselho de Segurança da Rússia
Presidente russo Vladimir Putin realiza reunião com membros permanentes do Conselho de Segurança da Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A proliferação de mísseis de curto e médio alcance em diferentes partes do mundo após a retirada dos EUA do tratado INF é uma ameaça que aumenta as tensões no mundo, disse o presidente russo Vladimir Putin.

"Um golpe tangível no sistema de controle de armas foi a retirada dos EUA do tratado de eliminação de mísseis de médio e curto alcance sob falsos pretextos. A ameaça da proliferação desta classe de mísseis em diferentes partes do mundo aumentou ainda mais as tensões no mundo", declarou Putin nesta sexta-feira (22) em uma reunião do Conselho de Segurança da Rússia.

"Nessas condições, é importante para nós prever e analisar adequadamente e com precisão possíveis mudanças na situação internacional e desenvolver nosso potencial militar em conformidade com as conclusões", complementou no discurso.

No dia 2 de agosto, os Estados Unidos abandonaram oficialmente o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF, na sigla em inglês), que proibia a instalação de mísseis balísticos e de cruzeiro com um alcance entre 500 e 5.500 quilômetros.

Algumas semanas mais tarde, os EUA testaram um míssil de cruzeiro terrestre anteriormente sujeito às restrições do acordo, assinado em 1987.

© Sputnik / Yuri KuydinDestruição de mísseis de curto alcance no âmbito do Tratado INF com os EUA (foto de arquivo)
Putin chama proliferação de mísseis de curto e médio alcance de ameaça após saída dos EUA do INF - Sputnik Brasil
Destruição de mísseis de curto alcance no âmbito do Tratado INF com os EUA (foto de arquivo)

A Rússia também suspendeu o seu compromisso com o Tratado INF em resposta aos EUA, mas ao mesmo tempo deixou claro que não deseja entrar em uma nova corrida armamentista, propondo aos países da OTAN uma moratória do destacamento de mísseis de curto e médio alcance.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала