- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Na véspera do Dia da Consciência Negra, deputado quebra quadro sobre racismo

© Folhapress / Pedro LadeiraCharge retrata um negro algemado caído no chão e um policial com uma arma fumegante se afastando
Charge retrata um negro algemado caído no chão e um policial com uma arma fumegante se afastando - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Na véspera da celebração do Dia da Consciência Negra, o deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) quebrou um quadro em exposição na Câmara com o desenho de um jovem negro assassinado e um policial com uma arma na mão. 

A mostra, com duração de um mês, foi aberta nesta terça-feira (19) justamente para marcar a data. Abaixo da charge, de autoria do cartunista Latuff, aparece o título "O genocídio da população negra". A obra também apresentava dados sobre a violência do Estado contra negros. 

O parlamentar justificou a atitude afirmando que fez um "protesto em cima do protesto deles", de acordo com matéria publicada no G1. Tadeu disse que a imagem era um "crime contra as instituições". Tadeu quebrou e pisoteou a peça. 

A exposição foi montada no túnel que liga o plenário principal da Câmara ao anexo das comissões, espaço tradicionalmente usado para exposições.

"Absurdo! Um deputado acabou de arrancar um quadro da exposição (Re)Existir no Brasil – Trajetórias negras brasileiras, aqui na Casa. O quadro trazia dados sobre a violência de Estado contra negros e pobres. Não adianta quebrar placas! Precisamos de outra política de segurança!", criticou a deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ) pelo Twitter. 

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirmou que irá acionar o Conselho de Ética da Câmara pela atitude do parlamentar. Segundo publicado pelo jornal O Globo, os deputados David Miranda (PSOL-RJ), Talíria Petrone, Áurea Carolina (PSOL-MG) e Benedita da Silva (PT-RJ) registraram um boletim de ocorrência contra Tadeu. 

Durante a confusão, o parlamentar foi acusado de "racistas" pelos colegas. Tadeu postou em seu Twitter um vídeo do momento em que ele arranca e quebra o quadro. 

"Isso aqui não vai ficar na parede, isso aqui é contra a polícia. A polícia está aqui para defender a sociedade. Eu vou queimar esse cartaz que não deveria estar aqui" disse Tadeu no vídeo. Ele ainda afirmou que o "racismo é a coisa mais abominável hoje". 

Mais cedo, em carta enviada ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), outro parlamentar da ancada da bala, Capitão Augusto (PL-SP), criticara o quadro e pedira sua retirada. 

"Há a absurda atribuição da responsabilidade pelo genocídio da população negra aos policiais militares, prestando-se, assim, verdadeiro desserviço junto à população que trafega pelas dependências da Câmara", argumentou. 

Segundo o Atlas da Violência 2019, 75,5% das vítimas de homicídios no país em 2017 foram indivíduos negros. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала