NASA posta FOTO de 'galáxia peculiar' com dobro do tamanho da Via Láctea

© Depositphotos / AlexmitO esporão de Cepheus, na Via Láctea, tem estrelas enormes com três vezes o tamanho do Sol e a cor azul é explicada por seu calor escaldante
O esporão de Cepheus, na Via Láctea, tem estrelas enormes com três vezes o tamanho do Sol e a cor azul é explicada por seu calor escaldante - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O telescópio espacial Hubble da NASA capturou a imagem de uma galáxia "peculiar" vizinha, chamada NGC 772, que tem duas vezes o tamanho da Via Láctea.

Localizada a 130 milhões de anos-luz de distância da Terra, na constelação Áries, o sistema estelar tem como diferencial a ausência de uma barra, que ao contrário da Via Láctea, é uma galáxia barrada.

Barras são faixas de luz causadas por estruturas de poeira e gás que correm ao longo do centro das galáxias. Em uma galáxia barrada, as barras contribuem para a formação de estrelas através do funil de poeira e gás no núcleo da galáxia.

A NASA apresentou a imagem como a Foto Astronômica do Dia, escreve o tabloide britânico Express.

© NASA . NASA/ESA/Telescópio espacial Hubble Imagem da galáxia espiral NGC 772 tirada pelo telescópio espacial Hubble da NASA
NASA posta FOTO de 'galáxia peculiar' com dobro do tamanho da Via Láctea - Sputnik Brasil
Imagem da galáxia espiral NGC 772 tirada pelo telescópio espacial Hubble da NASA

Além dessa característica, a NGC 772 também tem uma forma esticada incomum, o que significa que é tecnicamente classificada como uma "galáxia peculiar".

Forma incomum

A peculiaridade em sua forma é o "braço" na porção superior da imagem, que se distorceu ao ser estendido, resultado de movimentos de uma galáxia satélite próxima, que está gravitacionalmente ligada a uma galáxia maior e que orbita em torno dela.

Apesar da Via Láctea também ter galáxias satélites, as análises feitas pelo telescópio Hubble sugerem que esses sistemas estelares possam estar se movendo muito rápido para estarem verdadeiramente em órbita ao redor de nossa galáxia.

Acredita-se que essas galáxias em órbita possam causar o fim da nossa própria órbita, pois uma grande colisão pode fazer com que o buraco negro no centro da Via Láctea aumente de tamanho, destruindo tudo o que está próximo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала