Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Caso misterioso no Triângulo das Bermudas teria sido resolvido por investigador

Nos siga no
Investigador teria encontrado resposta chave para o mistério do desaparecimento de uma esquadrilha de aviões no Triângulo das Bermudas.

Entre os desaparecimentos mais misteriosos no Triângulo das Bermudas figura o famoso voo 19.

Na ocasião, uma formação de cinco aeronaves militares dos Estados Unidos tinha partido da base de Fort Lauderdale, Flórida, com o intuito de fazer um exercício de combate rotineiro no oceano Atlântico em 5 de dezembro de 1945.

No entanto, as aeronaves desapareceram no mar e até hoje não foram encontradas.

Investigando o mistério

Conforme publicou o tabloide Express, o investigador Peter Leffe teria descoberto a real razão do desaparecimento das aeronaves.

"Em algum momento, durante o segundo ou o terceiro trecho do percurso, Taylor [líder da formação] ficou convencido que eles [pilotos] de alguma forma cometeram uma virada errada", declarou Leffe.

Assim, como explana Leffe, o tenente Charles Carroll Taylor, líder da formação, se tornou uma peça central nas investigações, visto que a partir de sua sensação de erro ele poderia ter se desviado da rota planejada.

"Taylor estava vendo terra e, como estava formalmente baseado em Miami e conhecia bem as ilhas, ele disse 'Eu estou em cima de Florida Keys [um arquipélago no litoral da Flórida no golfo do México], eu não sei como viemos para aqui'", declarou Leffe.

Ainda conforme disse Leffe, o militar americano teria ficado com seu estado mental confuso após a sua falsa percepção de erro, ao acreditar que estava em um lugar onde não estava.

Além disso, Leffe indica como evidência do erro do piloto a conversa que o mesmo teve durante o voo com outro piloto que estava voando ao sul.

Com o passar do tempo as comunicações entre ambos ficaram cada vez mais fracas, o que segundo Leffe indica que a distância entre eles aumentava, prova de que ambos pilotos viajavam em direções opostas e que Taylor não estaria voando em direção a Florida Keys.

"Eles estavam divergindo e não convergindo. Isso é uma evidência significativa que nos ajuda a ter certeza de que Taylor nunca esteve perto de Florida Keys", acrescentou o especialista.

Confusão mental

Ainda segundo Leffe, Taylor começou a ter confusão mental. A prova disto estaria no erro que o piloto fez ao dizer o código de sua aeronave. Registrada como FT-28, Taylor se referia em conversa com o controle de voo como MT-28.

"Quando ele começou a se chamar de MT-28, em lugar de FT-28, isso foi uma clara indicação de que sua função mental se estava reduzindo", afirmou Leffe.

Desta forma, Leffe acredita que a sensação de erro do piloto foi a razão do desaparecimento da esquadrilha.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала