Oceano Ártico ganha nova ilha e descoberta é de estudantes

© AP Photo / David GoldmanNarvais nadam entre o gelo marinho flutuando no estreito de Franklin, no arquipélago Ártico Canadense, 22 de julho de 2017
Narvais nadam entre o gelo marinho flutuando no estreito de Franklin, no arquipélago Ártico Canadense, 22 de julho de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Estudantes do ensino médio da república de Chuváquia, na Rússia, descobriram uma nova ilha na região do Ártico. A ilha surgiu como resultado das mudanças climáticas.

Estudantes do ensino médio da república russa de Chuváquia, coordenados por graduandos do Instituto de Aviação de Moscou (MAI, na sigla russa), identificaram uma nova ilha na região ártica, informou a assessoria de imprensa do MAI.

"A área da nova ilha é de cerca de 110 hectares, e seu tamanho corresponde a 1,9 km de comprimento e 1 km de amplitude", um pouco menor do que a Ilha dos Valadares, no Paraná.

"Após a descoberta geográfica ter sido reconhecida oficialmente pelo Serviço Geográfico do Ministério da Defesa da Rússia, uma expedição foi enviada à ilha, para colher dados topográficos, descrever [o território] em detalhes e captar imagens", informou a assessoria de imprensa do MAI.

Analisando mapas e imagens de satélite da região do aquífero do mar de Kara, localizado no oceano Ártico, os estudantes notaram que o cabo de Zemlyanoy havia se destacado da ilha de Schmidt.

© Sputnik / Vladimir Baranov Geleira se derrete na costa russa do Ártico, próximo ao arquipélogo polar de São Francisco, no mar de Berents
Oceano Ártico ganha nova ilha e descoberta é de estudantes  - Sputnik Brasil
Geleira se derrete na costa russa do Ártico, próximo ao arquipélogo polar de São Francisco, no mar de Berents

Para confirmar a hipótese, os estudantes entraram em contato com a Corporação Estatal de Atividades Espaciais (Roscosmos), para solicitar imagens detalhadas de satélite.

"Presumimos que a faixa de terra que ligava as duas superfícies desapareceu por causa do aquecimento global. Provavelmente, o istmo era formado por rochas porosas e o derretimento ativo das geleiras próximas o corroeu", explica o estudante do MAI, Artyom Makarenko.

"A água derretida que de baixo da geleira, lavou as faixas de terra que ligavam o cabo à ilha", concluiu o estudante.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала