Eleições em xeque: OEA convoca reunião extraordinária para discutir situação na Bolívia

© REUTERS / Ueslei MarcelinoApoiadores do opositor de Evo Morales nas eleições da Bolívia em protesto em La Paz, 21 de outubro de 2019
Apoiadores do opositor de Evo Morales nas eleições da Bolívia em protesto em La Paz, 21 de outubro de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A contagem de votos que deu a vitória do presidente boliviano, Evo Morales, nas eleições presidenciais foi questionada pelo oposição e por manifestantes, gerando uma onda de protestos violentos no país.

A Organização dos Estados Americanos (OEA) convocou uma sessão extraordinária para discutir a a situação da Bolívia com o seu conselho permanente nesta quarta-feira (23).

"A sessão é convocada a pedido das missões permanentes de Brasil, Canadá, Colômbia, Estados Unidos e Venezuela com o propósito de considerar 'A situação na Bolívia'", informou a OEA em um comunicado divulgado nesta terça (22).

O Conselho Permanente da OEA reúne os embaixadores dos 34 países-membros da organização. A reunião será realizada em Washington.

​Após uma controversa eleição em que a transmissão da apuração dos votos foi interrompida na noite de domingo (20), Evo Morales conquistou 46,86% dos votos, o que garantiria a vitória no primeiro turno contra o seu opositor Carlos Mesa, que obteve 36,74%. O resultado não foi reconhecido pela oposição, que acusou as autoridades eleitorais de "fraude". 

Na última segunda-feira, a OEA pediu explicações ao Tribunal Supremo Eleitoral boliviano sobre a interrupção da transmissão dos resultados preliminares na noite de anterior. A Missão de Observação Eleitoral contou com 92 observadores e acompanhou as eleições na Bolívia e o processo de publicação de resultados.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала