Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Irritada com apoio dos EUA aos curdos, Turquia prepara ação na fronteira com a Síria

© REUTERS / Kevin LamarqueColetiva de imprensa entre Donald Trump e Recep Tayyip Erdogan em 16 de maio, 2017 (foto de arquivo)
Coletiva de imprensa entre Donald Trump e Recep Tayyip Erdogan em 16 de maio, 2017  (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga no
A Turquia está pronta para agir em sua fronteira sul com a Síria, declarou o presidente Recep Tayyip Erdogan, depois de avisar que poderia tomar medidas unilaterais se os EUA não estabelecerem uma "zona segura" no nordeste da Síria neste mês.

"Nossos preparativos ao longo de nossas fronteiras estão completos", disse Erdogan a repórteres em Istambul neste sábado, antes de partir para participar de uma reunião da ONU na Assembleia Geral.

Aliados na OTAN, Turquia e EUA iniciaram patrulhas terrestres e aéreas ao longo de parte da faixa de fronteira, mas Ancara diz que Washington está se movendo muito devagar para estabelecer uma zona segura suficientemente grande para afastar as forças curdas sírias da fronteira.

A Turquia ficou irritada com o apoio dos EUA às forças lideradas pelos curdos que combateram o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) na Síria. Ele considera os combatentes curdos do YPG uma organização terrorista e os quer removidos de mais de 400 km de fronteira.

As Forças Democráticas Sírias, lideradas pelo YPG, disseram que recuam 14 km em algumas áreas. A Turquia diz que os EUA concordaram que a "zona segura" deve se estender por 32 km até a Síria.

© AFP 2021 / DELIL SOULEIMANCombatentes curdos e árabes avançam em direção a cidade de Manbij dominado pelo Daesh, no norte da Síria (foto de arquivo)
Irritada com apoio dos EUA aos curdos, Turquia prepara ação na fronteira com a Síria - Sputnik Brasil
Combatentes curdos e árabes avançam em direção a cidade de Manbij dominado pelo Daesh, no norte da Síria (foto de arquivo)

Reclamações de Ancara

Erdogan reiterou queixas sobre o apoio dos EUA aos combatentes curdos, dizendo que Washington os estava fornecendo armas.

"Não desejamos ficar cara a cara com os EUA", afirmou. "No entanto, não podemos deixar de lado o apoio que os EUA estão dando a uma organização terrorista".

Seus comentários sobre os preparativos para a fronteira ocorreram um dia depois que duas fontes de segurança disseram que os médicos estavam estacionados nas províncias do sul da Turquia para se preparar para uma possível incursão na Síria.

Uma fonte informou que a licença médica foi suspensa. "Estamos nos preparando há muito tempo", disse a fonte. "A operação pode ser realizada sempre que necessário".

A Turquia já lançou duas incursões militares no norte da Síria desde 2016, visando as forças do Daesh e da YPG a oeste do Eufrates.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала