4ª derrota: Parlamento diz não e barra plano de Johnson para antecipar eleições

© Sputnik / Aleksei Filipov / Abrir o banco de imagensBoris Johnson em Moscou.
Boris Johnson em Moscou. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, não obteve os votos de dois terços (434) necessários para cumprir seu objetivo de avançar as eleições legislativas para 15 de outubro.

A Câmara dos Comuns votou 298 votos contra 56 na moção apresentada pelo próprio líder conservador.

Deputados trabalhistas se abstiveram depois que seu líder, Jeremy Corbyn, deu prioridade à aprovação e ratificação de um projeto de lei contra o Brexit rígido que está sendo processado urgentemente no próprio Parlamento de Westminster.

"Ele se tornou o primeiro líder da oposição que rejeita um convite eleitoral", afirmou Johnson ironicamente, tentando se encaixar em sua nova derrota eleitoral.

O líder conservador perdeu todas as votações que ocorreram no Parlamento desde que assumiu o cargo em 24 de julho.

No debate sobre a moção, Corbyn se referiu à história de Branca de Neve para justificar sua recusa em apoiar a proposta do governo até que Johnson renuncie para prosseguir com uma retirada abrupta da União Europeia em 31 de outubro.

"Ele não está nos oferecendo nem uma maçã nem uma escolha, mas o veneno de um Brexit sem acordo", retrucou o líder trabalhista.

Johnson apresentou a Corbyn sua proposta eleitoral como um desafio popular para ver quem participará do Conselho Europeu, marcado para 17 e 18 de outubro.

O primeiro-ministro continua comprometido em levar o Reino Unido ao fim da atual extensão, em 31 de outubro.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала