Cientista político: Estados Unidos perderam oportunidade de influenciar África

© AP Photo / Carley PeteschBandeiras dos EUA e do Níger são hasteadas lado a lado na Base Aérea 201 de Agadez, Níger
Bandeiras dos EUA e do Níger são hasteadas lado a lado na Base Aérea 201 de Agadez, Níger - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Pentágono está preocupado com a crescente influência da Rússia e da China na África, escreve The Intercept, citando documentos. O cientista político Vladimir Kireev falou sobre o assunto com o serviço russo da Rádio Sputnik.

Rússia e China estão expandindo influência na África, alertaram generais do Pentágono os legisladores americanos, relata The Intercept.

Em uma declaração escrita aos congressistas e falando em audiências do Comitê do Senado, o atual e o ex-chefe do Comando Africano dos EUA, Stephen Townsend e Thomas Waldhauser, respectivamente, destacaram que a Rússia e a China estão ativamente construindo laços econômicos, diplomáticos e culturais com pelo menos dez países africanos.

Os generais notaram o crescimento dos negócios da Rússia com países africanos, a execução de projetos nos setores de energia nuclear e de petróleo e gás, e o crescente comércio de armas. Na opinião dos generais, a China pretende construir uma série de bases militares no continente em breve.

Townsend e Waldhauser pediram aos EUA que cooperem com os países africanos para impedir que Rússia e China usem portos, bases ou espaço aéreo do continente, destacou o portal.

Influência perdida

Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o cientista político Vladimir Kireev comentou as conclusões do Pentágono.

"Pentágono e EUA perderam a chance [de influenciar] o continente africano desta vez. Há 15 anos, a influência dos EUA, da Reino Unido e da França no continente era quase absoluta. E, literalmente, nos últimos anos, a China e a Rússia tiraram a África do caminho dos americanos e europeus", disse Kireev.

De acordo com o especialista, a China está ganhando influência no continente africano através de investimento direto, enquanto a Rússia foi ganhando a confiança em terras africanas de uma forma mais "elegante": "resolvendo problemas de países africanos" com especialistas militares, civis e técnicos.

"Agora a África é o continente que mais cresce em termos populacionais, possuindo grande quantidade de recursos e um mercado em crescimento. É um dos continentes, que com bases militares nele, de onde podem ser controlados os fluxos de tráfego para outras partes do mundo, e as ações estratégico-militares", concluiu Kireev.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала