Venezuela e China expandem refinaria de petróleo em meio às sanções americanas

© AP Photo / Fernando LlanoPoço de petróleo nos arredores da cidade El Tigre, no Cinturão de Orinoco, uma das regiões mais ricas em petróleo no mundo
Poço de petróleo nos arredores da cidade El Tigre, no Cinturão de Orinoco, uma das regiões mais ricas em petróleo no mundo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Venezuela e China, em meio ao aumento das sanções norte-americanas, expandiram refinaria de petróleo para aumento da produção do óleo cru no solo venezuelano.

O evento foi transmitido no Twitter pelo presidente Nicolás Maduro. Trata-se de um empreendimento conjunto entre a PDVSA e a CNPC chinesa, chamado Sinovensa e localizado no cinturão do Orenoco, no sul da Venezuela. A Sinovensa produz petróleo bruto Merey para exportação.

Maduro contou com a presença de diplomatas da embaixada da China e de representantes da CNPC.

Extraordinária notícia! Foi lançada a primeira fase de expansão da Refinaria "Jose" no estado de Anzoátegui, que incorporará 165 mil barris diários de petróleo à produção nacional. Um empreendimento conjunto com nossos irmãos chineses que supera US$ 1,86 bilhão

Por sua vez, o ministro venezuelano do Petróleo, Manuel Quevedo, afirmou que o empreendimento conjunto permitirá ampliar a produção de petróleo refinado de 125,5 mil para 220 mil barris, produzindo não mais 105 mil barris diários, e, sim, 165 mil barris de petróleo pesado por dia. Segundo o ministro, na primeira etapa, os investimentos foram de US$ 800 milhões, mas está prevista uma expansão de mais US$ 1 bilhão.

Bloqueio de ativos

Na terça-feira (6), a Casa Branca informou que o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou um decreto para bloquear os ativos das autoridades venezuelanas na jurisdição dos EUA, incluindo o Banco Central do país e a companhia petrolífera estatal PDVSA.

Além disso, o decreto permite a imposição de sanções contra cidadãos estrangeiros que forneçam apoio, bens ou serviços a qualquer pessoa sujeita a sanções, incluindo as autoridades venezuelanas.

No dia 28 de janeiro, os EUA anunciaram a imposição de sanções à empresa nacional venezuelana de petróleo e gás PDVSA, bloqueando os bens da petrolífera, que se encontram no território norte-americano, equivalentes a US$ 7 bilhões, além de proibirem transações. De acordo com a Casa Branca, mais 11 bilhões de dólares serão perdidos em exportações de petróleo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала