Sonda Juno tira FOTOS espetaculares da Grande Mancha Vermelha de Júpiter

© NASA . NASA GoddardGrande Mancha Vermelha de Júpiter
Grande Mancha Vermelha de Júpiter - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A sonda interplanetária Juno enviou para a Terra fotos inéditas da Grande Mancha Vermelha de Júpiter, tiradas a partir de novo ângulo. As imagens ajudarão os cientistas a entender por que a mancha está diminuindo, anunciou a NASA.

Historiadores acreditam que a Grande Mancha Vermelha foi descoberta pelo astrônomo italiano Giovanni Cassini, cujos desenhos feitos em 1665 ilustravam a mancha.

Mais tarde, estudiosos revelaram que a Grande Mancha é na verdade um enorme anticiclone, cujos ventos se movem a 430 km/h. Além disso, a temperatura entre pontos diferentes no seu interior varia em centenas de graus.

CC BY 3.0 / NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Kevin M. Gill / Grande Mancha Vermelha de Júpiter em foco
Sonda Juno tira FOTOS espetaculares da Grande Mancha Vermelha de Júpiter - Sputnik Brasil
Grande Mancha Vermelha de Júpiter em foco

Os astrônomos acreditam que a Grande Mancha funciona como uma bolsa de compressa, bombeando o calor do interior de Júpiter para a atmosfera. Desta forma, as temperaturas aumentam a significância predita por teoria. Tais dados foram recentemente comprovados pela Juno.

As dimensões da Grande Mancha são medidas não em quilômetros, mas em diâmetro terrestre. A Grande Mancha é aproximadamente 1,3 vez maior do que o nosso planeta.

Embora seja grande, no passado seu tamanho era maior, tendo sido três vezes maior do que a Terra. Ninguém ainda pode explicar por que ela diminuiu.

CC BY 3.0 / NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Kevin M. Gill / Grande Mancha Vermelha de Júpiter
Sonda Juno tira FOTOS espetaculares da Grande Mancha Vermelha de Júpiter - Sputnik Brasil
Grande Mancha Vermelha de Júpiter

Missão no espaço

A sonda Juno estuda Júpiter desde 2015, e pode ajudar cientistas a entender a redução do tamanho da Grande Mancha assim como a estrutura do interior do planeta e de outros furacões.

A cada dois meses, o aparelho se aproxima do planeta voando a uma pequena distância das camadas superiores da atmosfera, colhendo informações sobre o campo magnético e fazendo fotos de furacões, nuvens e acúmulos de gases.

No final de julho, a sonda fez sua 21ª aproximação, voando a quase 43.000 km do topo das nuvens na direção do polo sul ao polo norte.

As informções sobre o trabalho da Juno e as fotos foram publicadas pela NASA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала