OTAN não implantará novos mísseis nucleares na Europa após fim do Tratado INF, diz secretário-geral

© REUTERS / Francois LenoirSecretário-geral da OTAN, Jens Stoltenbeg, chefiando a reunião dos ministros da Defesa dos países-membros da aliança em Bruxelas, em 27 de outubro de 2016
Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenbeg, chefiando a reunião dos ministros da Defesa dos países-membros da aliança em Bruxelas, em 27 de outubro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Durante a coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (2) em Bruxelas, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, afirmou que a organização não implantará novos mísseis nucleares terrestres na Europa após o fim do Tratado INF.

Apesar de o tratado ter oficialmente terminado em 2 de agosto , o bloco militar não "quer uma nova corrida armamentista", afirmou Stoltenberg, ressaltando que isso poderia ser evitado.

"[...]Estamos trabalhando em relação a diferentes elementos. Eu os mencionei, há os exercícios, a inteligência, mas também a defesa aérea e de mísseis, bem como as capacidades convencionais [...]", ressaltou o secretário-geral.

Ele também afirmou que a OTAN está convencida de que é possível chegar a um acordo sobre um novo tratado com a Rússia após o colapso do INF, assinado pela União Soviética e pelos EUA em 1987.

"Os aliados estão firmemente empenhados na preservação de um controle internacional eficaz dos armamentos, no desarmamento e na não proliferação [...]", declarou o secretário-geral da aliança.

O Tratado INF, que não permitia a utilização de mísseis nucleares de baseamento terrestre com alcance entre 500 e 5.500 quilômetros, deixou de estar em vigor a partir de hoje, 2 de agosto, por iniciativa norte-americana, informou o Ministério das Relações Exteriores da Rússia nesta sexta-feira.

"Em 2 de agosto de 2019, o tratado entre a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e os Estados Unidos da América sobre a eliminação dos mísseis de curto e médio alcance, assinado em Washington em 8 de dezembro de 1987, foi revogado por iniciativa norte-americana".

Em outubro de 2018, Washington anunciou sua intenção de abandonar o tratado, alegando que a Rússia havia violado o acordo.

Stoltenberg e a entrega dos sistemas russos à Turquia

A questão dos sistemas de defesa antiaérea russos S-400 entregues à Turquia no último mês também foi abordada na coletiva, tendo Stoltenberg enfatizado que o equipamento russo não será integrado em nenhum dos sistemas de defesa da aliança.

"Não há planos para a integração dos S-400 russos em qualquer sistema de defesa antiaérea e antimíssil da OTAN".

Ancara recebeu o primeiro lote dos sistemas russos S-400 no último mês, apesar dos constantes alertas de Washington para abandonar o acordo com Moscou.

© REUTERS / Ministério da Defesa da TurquiaPrimeiro lote de componentes dos sistemas de defesa antiaérea S-400 na Turquia
OTAN não implantará novos mísseis nucleares na Europa após fim do Tratado INF, diz secretário-geral - Sputnik Brasil
Primeiro lote de componentes dos sistemas de defesa antiaérea S-400 na Turquia

Os EUA e a aliança têm manifestado repetidamente suas preocupações quanto ao fato de os S-400 serem incompatíveis com os equipamentos militares da OTAN e afirmado que eles põem os caças F-35 em perigo. De acordo com Washington e Bruxelas, a compra simultânea por Ancara dos F-35 e dos S-400 forneceria alegadamente aos especialistas russos informações fundamentais sobre dados confidenciais relacionados com a tecnologia do avião.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала