Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Congresso dos EUA quer limitar exportações nucleares para Arábia Saudita

© AP Photo / Susan WalshPrédio do Congresso dos EUA em Washington
Prédio do Congresso dos EUA em Washington - Sputnik Brasil
Nos siga no
Os senadores dos Estados Unidos apresentaram um projeto de lei que pretende limitar as exportações de tecnologias nucleares para a Arábia Saudita.

"Proibir ao Export-Import Bank (ou Eximbank, agência de crédito à exportação) dos Estados Unidos de financiar exportações de tecnologia, equipamento, combustível, materiais ou outros bens ou serviços nucleares para a Arábia Saudita", diz o título da iniciativa, publicada no site do Congresso dos EUA.

De acordo com a revista Foreign Policy, que teve acesso ao texto completo do projeto, a lei presume que os EUA renunciem a acordos de cooperação nuclear com Riad e impõe uma série de restrições de modo a limitar acesso a armas nucleares por Arábia Saudita.

A Arábia Saudita deverá estar sujeita a restrições até que renuncie ao enriquecimento e reprocessamento de urânio.

De acordo com o projeto, apresentado pelo senador republicano Lindsey Graham e pelo democrata Chris Van Hollen, outro requisito para a Arábia Saudita seria a assinatura de um acordo de cooperação com os EUA dentro da estrutura de sua lei de energia nuclear, que regula o uso civil e pacífico do átomo e a ratificação dos protocolos de segurança que correspondem à política da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

A lei também estabelece que o Eximbank deve informar o Congresso sobre qualquer acordo sobre o fornecimento de materiais nucleares à Arábia Saudita.

"Nunca devemos permitir que materiais nucleares caiam nas mãos erradas e, sem dúvida, o príncipe herdeiro e seu regime mostraram que eles não são confiáveis", disse Van Hollen em entrevista por telefone à Foreign Policy.

Em março passado, Daily Beast informou que a Arábia Saudita pode escolher entre uma ampla gama de empresas de "dezenas de países" para eventual cooperação no desenvolvimento de seu setor nuclear e os EUA são apenas "uma das muitas opções".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала