Hezbollah: Novas sanções ampliam ataque dos EUA ao Líbano

© AP Photo / Mohammed ZaatariParada do Hezbollah durante uma cerimônia de homenagem a militantes mortos, no Líbano, em 18 de fevereiro de 2017.
Parada do Hezbollah durante uma cerimônia de homenagem a militantes mortos, no Líbano, em 18 de fevereiro de 2017. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Hezbollah, do Líbano, disse nesta quinta-feira que novas sanções dos EUA contra três de seus funcionários, incluindo dois parlamentares, ampliaram o ataque de Washington ao Líbano.

A medida marca a primeira vez que os Estados Unidos têm como alvo legisladores do movimento xiita Hezbollah, fortemente armado e apoiado pelo Irã, que faz parte do governo de coalizão do Líbano.

"Aumentou o ataque ao Líbano e ao seu povo. Ele é rejeitado e denunciado", declarou o bloco parlamentar do Hezbollah nos comentários da TV. "Isso não mudará nada em nossas convicções".

As sanções ampliam uma campanha dos EUA que designa 50 pessoas e entidades ligadas ao Hezbollah desde 2017. Washington classifica o Hezbollah como um grupo terrorista.

Os três novos funcionários são os deputados Amin Sherri e Muhammad Raad, bem como Wafiq Safa, cujo papel inclui a coordenação com as agências de segurança do Líbano.

O primeiro-ministro do país, Saad al-Hariri, disse na quarta-feira que as sanções avançaram em "uma nova direção" do que as medidas existentes, mas não afetarão o trabalho do governo.

As sanções dos EUA pesaram sobre os bônus soberanos libaneses na quarta-feira.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала