Kremlin critica Conferência sobre Liberdade de Imprensa por negar credenciamento à Sputnik e RT

© Sputnik / Vladimir Sergeev / Abrir o banco de imagensLogo da Sputnik
Logo da Sputnik  - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Organizadores da Conferência Global sobre Liberdade de Imprensa negaram o credenciamento à agencia de notícias Sputnik, assim como ao canal RT, sem terem prestado quaisquer esclarecimentos sobre essa decisão.

O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, criticou a conferência por não ter concedido credenciamento aos jornalistas russos, considerando toda esta situação como absurda.

"Isto poderá ser, digamos, uma pseudoconferência. Não pode haver nenhum tipo de discussão a sério sobre liberdade de imprensa em condições em que é negada a entrada de jornalistas. E esta é talvez a maior demonstração da absurdidade daquilo que está acontecendo", notou Peskov.

"Para além disso, esta absurdidade está adquirindo infelizmente com frequência em alguns países, inclusive no país onde este evento irá acontecer, uma forma prolongada e duradoura, neste âmbito nós podemos somente lamentar", disse Peskov aos jornalistas.

Vyacheslav Volodin, presidente da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), apoiou Peskov, acusando o governo britânico de praticar uma política de padrão duplo de julgamento.

"É preciso partir do princípio que a política de padrão duplo se tornou evidente, tanto na política dos EUA em relação aos meios de comunicação, como na política do Reino Unido e de outros países", comentou Volodin aos repórteres a situação de não credenciamento dos jornalistas russos.

Ele também salientou que as restrições contra a Sputnik contrariam "todos os direitos e liberdades fundamentais".

"Todos os acordos anteriormente alcançados determinam que nós temos que garantir a liberdade de expressão e de divulgação de informação. O nosso país tem feito sempre isso e tem sublinhado isso na sua política. Contudo, como podem ver, há alguns países que pensam que não têm a obrigação de atuar em conformidade com essas regras internacionais", concluiu Volodin.

Anteriormente Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores, informou em um comunicado que a Rússia exige a Londres que apresente durante as próximas 24 horas os fatos concretos com base nos quais foi negado o credenciamento à agencia de notícias Sputnik e ao canal RT para participarem da Conferência sobre Liberdade de Imprensa.

"Exigimos a Londres que dentro das próximas 24 horas apresente os fatos concretos com base nos quais foi feita a respectiva declaração. Em caso contrário, nós vamos considerar as ditas acusações como uma calúnia que mancham a reputação profissional dos meios de comunicação russos, um exemplo claro de divulgação de "fake news" e desinformação", afirma o comentário de Maria Zakharova.

Na sexta-feira (5), a editora-chefe da Sputnik e da RT, Margarita Simonyan, informou que o Departamento de Assuntos Externos do Reino Unido se recusou a credenciar a Sputnik e o RT para a Conferência Global sobre Liberdade de Imprensa.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала