Erdogan pede a Haftar que pare ataques na Líbia

© AP Photo / Presidential Press Service/PoolTurkey's President Recep Tayyip Erdogan speaks during an Iftar, the evening meal breaking the Ramadan fast, at his palace in Ankara, Turkey, Saturday, May 19, 2018
Turkey's President Recep Tayyip Erdogan speaks during an Iftar, the evening meal breaking the Ramadan fast, at his palace in Ankara, Turkey, Saturday, May 19, 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
No sábado (29), o marechal-de-campo Khalifa Haftar, que lidera o Exército Nacional da Líbia (LNA), ameaçou atacar os ativos turcos no país por suposto apoio ao Governo de Acordo Nacional (GNA).

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, se reuniu com o primeiro-ministro da Líbia, Fayez al-Sarraj, em Istambul, nesta sexta-feira (5).

Erdogan pediu o fim dos "ataques ilegais" das forças de Khalifa Haftar durante uma reunião com o primeiro-ministro líbio, segundo informou a AFP nesta sexta-feira (5), citando o gabinete presidencial turco.

"O presidente renovou seu apoio ao governo internacionalmente reconhecido e pediu o fim dos ataques ilegais das forças de Haftar", afirmou o gabinete presidencial turco em um comunicado, conforme citado pela AFP.

No domingo (30), a diretoria de segurança da cidade de Ajdabiya, no leste da Líbia, disse que prendeu dois cidadãos turcos após a instrução de Haftar para responder ao suposto apoio da Turquia a grupos terroristas na Líbia.

O Ministério das Relações Exteriores turco disse em um comunicado anteriormente que o LNA prendeu seis cidadãos do país e alertou que as forças de Haftar se tornariam "alvos legítimos" se os cidadãos turcos não fossem libertados imediatamente.

As tensões entre Ancara e as forças líbias orientais aumentaram na semana passada, quando o LNA disse que suas defesas aéreas derrubaram um drone fabricado na Turquia lançado pela GNA - apoiada pela ONU - perto de Trípoli. Em uma conferência de imprensa em Benghazi, o porta-voz do LNA, Ahmed Mismari, disse que os drones turcos foram usados ​​na recente operação da GNA para recapturar a cidade estratégica de Garyan, ao sul de Trípoli, do LNA.

Desde a derrubada e assassinato do líder da Líbia, Muammar Gaddafi, por extremistas islâmicos apoiados pelos EUA, em 2011, o país foi dividido entre dois governos. A parte oriental é controlada pelo Exército Nacional da Líbia (LNA) e a parte ocidental pelo Governo do Acordo Nacional (GNA), apoiado pela ONU.

Em abril, o LNA lançou uma ofensiva para retomar Trípoli das forças leais à GNA. O LNA já tomou sob seu controle uma série de assentamentos a caminho da capital, incluindo o Aeroporto Internacional de Trípoli.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала