Mídia turca: hegemonia do dólar está à beira de colapsar

© Sputnik / Natalia Seliverstova / Abrir o banco de imagensNotas de dólar americano
Notas de dólar americano - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O dólar está perdendo suas posições na arena global: o volume dos investimentos em títulos do Tesouro dos EUA por parte da China, Rússia e Turquia atingiu seu ponto mínimo na história, enquanto a cota-parte da divisa dos EUA nas reservas internacionais também está caindo, informa o jornal turco Sabah.

Em seu artigo para o jornal diário turco Sabah, o analista Baris Ergin lembrou que nos últimos tempos vários países, incluindo a Rússia, a China, a Turquia e o Irã, estão reduzindo suas reservas denominadas em dólares.

O objetivo desses países é claro – eles querem reduzir sua dependência da divisa estadunidense em resposta às ameaças de sanções por parte de Washington. Por exemplo, em um ano Moscou e Ancara venderam quase todos os seus títulos do Tesouro dos EUA.

Euro e yuan: possíveis alternativas ao dólar

O analista sublinhou que, enquanto vários países estão se livrando dos investimentos em dólares, o volume de euros e yuans chineses nas reservas internacionais está crescendo em alguns países.

Por exemplo, apenas em um ano, de abril de 2018 a abril de 2019, o Banco Central russo vendeu cerca de 87% dos seus títulos do Tesouro dos EUA. O valor dos títulos vendidos atinge 84 bilhões de dólares (R$ 327 bilhões). Ao mesmo tempo, as cotas-partes do euro e da moeda chinesa atingiram seu máximo histórico.

Posições do dólar estão enfraquecendo

Segundo o Fundo Monetário Internacional, se compararmos os dados dos dois últimos trimestres de 2018, é evidente que a cota-parte do dólar estadunidense nas reservas internacionais globais sofreu a maior queda, enquanto as do euro, iene japonês e yuan chinês mostraram o maior crescimento.

No total, no fim de 2018 a cota-parte do dólar nas reservas internacionais globais era de 61,7%, enquanto em 2001 era de 73%, sublinhou Ergin.

Regresso ao padrão ouro?

Outra alternativa à hegemonia do dólar é o ouro. Em meio a restrições comerciais e ameaças de sanções por parte de Washington, a China e a Rússia estão comprando ativamente ouro.

Segundo os dados do Conselho Mundial do Ouro (WGC, na sigla em inglês), nos últimos meses se observa a maior demanda pelo metal preciso por parte de bancos centrais desde 2013.

O Banco Central russo lidera a lista dos maiores compradores de ouro, enquanto a China também aumenta suas reservas de metal preciso a níveis recorde.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала