EUA devem invadir Venezuela para assustar Irã e Coreia do Norte, sugere senador americano

© AP Photo / Alex BrandonPresidente dos EUA Donald Trump durante cerimônia para comemorar o 75º aniversário do Dia D, Normandia, França, 6 de junho de 2019
Presidente dos EUA Donald Trump durante cerimônia para comemorar o 75º aniversário do Dia D, Normandia, França, 6 de junho de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O senador americano Lindsey Graham sugeriu ao presidente Trump que tomasse uma grande medida através da "força militar" na luta contínua pela presidência da Venezuela.

Durante uma entrevista à Fox News na sexta-feira (14), o senador do estado americano da Carolina do Sul foi questionado sobre assuntos referentes aos desafios da política externa de Trump em relação ao presidente venezuelano Nicolás Maduro, além de questões envolvendo a Coreia do Norte, que continuam ignorando seu acordo, e o suposto ataque do Irã contra petroleiros no golfo de Omã.

"[Trump] disse que Maduro tem que sair. Ele tem razão. Deem a Cuba um ultimato. Sem Cuba, Maduro não dura um dia. Digam a Cuba para sair da Venezuela", ressaltou.

"É uma época de testes", disse Graham, acrescentando que o presidente Trump deveria "colocar a força militar na mesa", comparando-a à invasão de Granada pelo presidente Ronald Reagan em 1983 e argumentando que isso poderia acabar com o apoio de Cuba à Venezuela.

Bandeira síria no campo de refugiados palestiniano libertado de Yarmouk, no sul de Damasco, Síria (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Senador americano indica maneira para acabar rapidamente com guerra na Síria
"Comece pelo seu próprio quintal [...] Arrume a Venezuela e todos saberão que você está falando sério", disse o senador do estado americano da Carolina do Sul, insinuando que a Coreia do Norte e o Irã entrariam na linha depois que Caracas fosse colocada no seu lugar.

Embora Graham tenha falado sobre as realizações não militares do presidente americano, felicitando-o relutantemente por desacelerar as ambições nucleares da Coreia do Norte, seu conselho não incluiu muito em termos de diplomacia.

Em maio, o representante do Congresso Nacional dos EUA afirmou que ele faria "exatamente o que Reagan fez" em relação à Venezuela.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала