Irã diz usar métodos 'não convencionais' para vender petróleo sob sanções dos EUA

© AP Photo / Vahid SalemiTécnico de petróleo iraniano verifica as instalações do separador de óleo no campo petrolífero de Azadegan, perto de Ahvaz, Irã (imagem referencial)
Técnico de petróleo iraniano verifica as instalações do separador de óleo no campo petrolífero de Azadegan, perto de Ahvaz, Irã (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ministro iraniano do Petróleo, Bijan Namdar Zanganeh, disse à agência de notícias SHANA que o país está utilizando canais não oficiais para vender seu petróleo em meio às sanções dos EUA.

O ministro não especificou os países que compram o petróleo de Teerã, apontando que o método deve ser mantido em segredo de Washington.

"Nós temos vendas não oficiais ou não convencionais, todas são secretas, porque se vierem à tona, os americanos imediatamente as parariam", disse.

Mais cedo o ministro comentou também através de seu vice que Teerã vende petróleo no  chamado "mercado cinza". Segundo Zanganeh, trata-se de um método situado em algum ponto entre o "mercado branco" transparente e o "mercado negro" ilegal, parecido com contrabando.

Porta-aviões norte-americano Abraham Lincoln ao lado de caças F-18 durante exercícios no golfo Pérsico - Sputnik Brasil
General americano: ameaça iraniana na região do golfo Pérsico continua iminente

Recentemente, os EUA intensificaram seus esforços para reduzir a zero as exportações iranianas de petróleo. Washington pôs termo às isenções temporárias de cumprimento das sanções introduzidas em novembro de 2018 (relativamente à compra de petróleo iraniano) que oito países ainda beneficiavam.

Teerã respondeu, chamando às sanções contra si de "política fracassada", observando que esta já havia demonstrado sua ineficácia quando realizada por administrações anteriores.

Washington impôs sanções a Teerã depois de se retirar do Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), o acordo nuclear iraniano, que levantou as sanções internacionais contra o país impostas em 2015, em troca de limitações a seu programa nuclear. O presidente dos EUA, Donald Trump, argumentou que o acordo era "imperfeito" e exigiu alcançar um acordo novo e “melhor”.

Teerã se recusou a negociar com Washington, a menos que este suspenda as sanções econômicas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала