Trump garante que há 'sempre uma chance' de guerra com o Irã

© REUTERS / Brian C. FrankPresidente dos EUA Donald Trump durante a campanha eleitoral em 2015 com a Bíblia nas mãos
Presidente dos EUA Donald Trump durante a campanha eleitoral em 2015 com a Bíblia nas mãos - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A guerra entre os EUA e o Irã é uma possibilidade, afirmou o presidente estadunidense Donald Trump em uma entrevista ao jornalista britânico Piers Morgan. No entanto, ele enfatizou que não está buscando um conflito armado com Teerã.

Quando pressionado por Morgan sobre as crescentes tensões com o Irã e a probabilidade de guerra, Trump reconheceu que nada poderia ser descartado.

Presidente iraniano, Hassan Rouhani, ouvindo explicações sobre novos êxitos na área nuclear, Teerã, 9 de abril de 2018 - Sputnik Brasil
Inteligência de Israel: Irã não obterá bomba nuclear mesmo saindo de acordo nuclear

"Há sempre uma chance. Eu quero, não. Mas sempre há uma chance", declarou.

O líder dos EUA insistiu que ele "preferiria conversar" com o Irã, mas que todas as ações necessárias seriam tomadas para impedir que Teerã obtivesse armas nucleares.

"A única coisa é que não podemos deixar que eles tenham armas nucleares. Eu sei muito sobre armas nucleares. Eu sou o único que é treinado e tem que estudar isso", acrescentou.

Ele também falou da "tremenda responsabilidade" de estar no comando do arsenal nuclear dos Estados Unidos, mas garantiu a Morgan que é uma responsabilidade que ele está "preparado para lidar".

Exibida no programa Good Morning Britain, a entrevista aconteceu no último dia da visita de Estado de Trump ao Reino Unido. Trump tem lutado para recrutar o Reino Unido e outros aliados europeus em seu novo regime de sanções contra o Irã, depois de unilateralmente retirar os EUA do marco do acordo nuclear de 2015 (conhecido como JCPOA).

Tropas da Guarda Revolucionária do Irã (imagem de arquivo) - Sputnik Brasil
Qual é a probabilidade de ocorrer uma guerra entre EUA e Irã?

As tensões entre os Estados Unidos e o Irã estão aumentando, e Washington reforça seu poderio militar no Oriente Médio como "um alerta" para Teerã. Os EUA acusaram os últimos de conspirar para atacar seus cidadãos em países vizinhos e sabotar vários petroleiros da costa dos Emirados Árabes Unidos - sem fornecer evidências para sustentar suas alegações.

Teerã rejeitou firmemente as acusações, mas advertiu que está preparado para se defender da agressão militar dos EUA. Ele também disse que está pronto para negociações, mas elas podem significar "conversar com um demônio" e não produzir resultados.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала