Trump: Rússia informou aos EUA que retirou maioria de conselheiros militares da Venezuela

© AP Photo / Evan VucciPresidente dos EUA, Donald Trump, durante sua visita oficial ao Japão, 27 de maio de 2019
Presidente dos EUA, Donald Trump, durante sua visita oficial ao Japão, 27 de maio de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente dos EUA, Donald Trump, comentou a situação da Venezuela através do Twitter, alegando que Moscou informou os EUA sobre "ter retirado a maioria de seu pessoal" do país.

Anteriormente, o embaixador da Rússia em Caracas refutou as alegações feitas pela mídia norte-americana no fim de semana de que a gigante da defesa russa Rostec havia feito cortes significativos de sua presença no país latino-americano recentemente.

As autoridades russas ainda não responderam às alegações do presidente dos EUA. No entanto, na segunda-feira, o embaixador da Rússia na Venezuela, Vladimir Zaemsky, refutou as alegações feitas no The Wall Street Journal no domingo de que a Rússia teria reduzido significativamente o número de funcionários da empresa Rostec que atuavam no país nos últimos meses.

Carlos Rafael Faría Tortosa, embaixador da Venezuela na Rússia. - Sputnik Brasil
Rússia e Venezuela continuarão cooperação na indústria de defesa
O conglomerado russo de defesa e alta tecnologia Rostec, que regularmente envia técnicos para a Venezuela para realizar a entrega de equipamentos militares e prestar assistência técnica e de manutenção ao longo dos anos, afirmou nesta segunda-feira que o jornal norte-americano superestimou o número de funcionários da Rostec trabalhando na nação latino-americana "por dezenas [de vezes]".

A publicação da mídia norte-americana classificou a suposta retirada de consultores russos da Venezuela como "constrangimento" para o presidente Nicolás Maduro, e um sinal de que a Rússia estava avaliando "a resiliência política e econômica do líder contra a pressão crescente dos EUA".

Moscou enviou especialistas militares para a Venezuela ao longo dos últimos anos sob contratos para o fornecimento de sistemas de armas fabricados na Rússia. Esses contratos, que incluem acordos para uma variedade de equipamentos modernos russos, de helicópteros e caças a veículos blindados e baterias de defesa aérea, foram assinados antes da escalada da crise política e econômica que o país enfrenta desde o início deste ano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала