Presidente do Irã sugere possível negociação com EUA, se sanções forem levantadas

© REUTERS / Lucas JacksonO presidente iraniano, Hassan Rouhani, fala em uma coletiva de imprensa perto da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque, 2016 (arquivo)
O presidente iraniano, Hassan Rouhani, fala em uma coletiva de imprensa perto da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque, 2016 (arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente do Irã, Hassan Rouhani, sugeriu, nesta quarta-feira, ser possível negociar com os Estados Unidos, no caso de Washington suspender as sanções contra o país oriental. Dias antes, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou acreditar na possibilidade de um acordo com Teerã sobre seu programa nuclear, informou Reuters.

No ano passado, os Estados Unidos se retiraram, de forma unilateral, de um acordo internacional com o Irã para regular seu programa nuclear e ampliaram as sanções contra a república islâmica de modo a sufocar sua economia ao bloquear suas vendas de petróleo no mercado global.

Bandeira nacional do Irã - Sputnik Brasil
Vice-chanceler: Irã está pronto para guerra com os EUA, mas espera diálogo
Na segunda-feira, Trump disse realmente acreditar em um acordo com o Irã. "Eu acho isso muito inteligente da parte deles, eu acho que há uma possibilidade de que isso aconteça", disse o presidente norte-americano.

Durante um discurso, transmitido pela televisão iraniana nesta quarta-feira, Rouhani disse que "as portas não estão fechadas" e que o país islâmico poderia dialogar "quando eles levantarem as sanções injustas, cumprirem seus compromissos e voltarem à mesa de negociação, que eles eles abandonaram".

"Mas o nosso povo julga por ações, e não por palavras", acrescentou o chefe de Estado do Irã.

A mensagem foi recebida com alívio pela imprensa internacional, já que o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Abbas Mousavi, disse nesta terça-feira que Teerã não teria mais interesse em negociar com Washington.

As tensões entre o Irã e os Estados Unidos aumentaram desde que Washington enviou navios e bombardeios e anunciou planos para enviar cerca de 1.500 soldados ao Oriente Médio, provocando temores de um conflito.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала