Presidente eleito da Ucrânia considera entrada na UE e na OTAN um caminho 'sem volta'

© Sputnik / Stringer / Abrir o banco de imagensPresidente eleito da Ucrânia, Volodymyr Zelensky
Presidente eleito da Ucrânia, Volodymyr Zelensky - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A intenção da Ucrânia de aderir à União Europeia (UE) não tem alternativa, declarou o presidente eleito da Ucrânia, Vladimir Zelensky, após uma reunião com o Comissário para a Política Europeia de Vizinhança e Negociações de Ampliação, Johannes Hahn.

"Nossa eleição europeia é inquestionável, e eu, como garantidor da Constituição, defenderei o caminho escolhido pelos ucranianos nas eleições", afirmou Zelensky ao seu serviço de imprensa.

O mesmo comunicado revelou que o conflito no Donbass foi abordado durante o encontro. "Nosso objetivo é cessar fogo", acrescentou Zelensky.

Presidente russo Vladimir Putin - Sputnik Brasil
Putin brinca sobre como será o seu encontro com o novo presidente da Ucrânia

Zelensky ganhou as eleições presidenciais, alcançando 73,22% do apoio no segundo turno, que foi realizado em 21 de abril, ante 24,45% do então presidente Pyotr Poroshenko.

A Ucrânia renunciou em dezembro de 2014 ao estatuto de país não alinhado e, em 2018, declarou-se membro da Aliança Atlântica como um objetivo da sua política externa.

Em fevereiro passado, Poroshenko promulgou a lei sobre as mudanças na Constituição que consagram a política do país de aderir à OTAN e à UE.

Entretanto, o Comissário Europeu para as Políticas Europeias de Vizinhança e Negociações de Alargamento disse que considera "irreal" a entrada da Ucrânia em breve.

Em suas redes sociais, Hahn expressou confiança na capacidade do futuro chefe de Estado de combater o domínio dos oligarcas na Ucrânia.

"Hoje felicitei Vladimir Zelensky pessoalmente em Kiev por sua impressionante vitória para se tornar presidente da Ucrânia, o que lhe dá um forte mandato para lutar contra a corrupção e pela 'anti-oligarquia'", escreveu Hahn após a reunião.

O comissário também ofereceu a Zelensky o apoio total do bloco a todas as reformas nacionais em potencial diante de inúmeras ameaças e desafios.

O então candidato à presidência da Ucrânia e atual vencedor das eleições, Vladimir Zelensky, comemora os resultados do segundo turno da votação - Sputnik Brasil
Presidente eleito da Ucrânia propõe discutir novas condições de coexistência com Rússia

"Isto significa assegurar que, no atual período de transição antes de eleições presidenciais urgentes, reformas não sejam estagnadas, mas aceleradas para assegurar estabilidade financeira e econômica (incluindo a garantia de apoio financeiro internacional e energia). Não há tempo a perder", acrescentou Hahn.

A Ucrânia há muito se esforça para se juntar à União Europeia e à OTAN, e se distanciar da Rússia. A recusa do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovych em assinar um Acordo de Associação com Bruxelas provocou protestos em massa em Kiev em 2014 e acabou levando à mudança de poder no país.

Atualmente, as autoridades ucranianas estão reformando suas Forças Armadas para adaptá-las às normas da OTAN e Kiev espera alcançar a completa compatibilidade com o bloco para 2020.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала