Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

CUT e Força Sindical comemoram 1º de Maio e protestam contra reforma da Previdência

© REUTERS / Nacho DoceSindicalistas seguram uma faixa com "Fora Bolsonaro" durante um comício em São Paulo.
Sindicalistas seguram uma faixa com Fora Bolsonaro durante um comício em São Paulo. - Sputnik Brasil
Nos siga no
Pela primeira vez, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical se reuniram para comemorarem juntos o Dia do Trabalhador. Atividades começaram no início da manhã no centro de São Paulo e devem reunir 50 mil pessoas ao longo do dia.

O encontro também contou com uma manifestação contra a reforma da Previdência. Ao G1, o presidente nacional da Força Sindical, o deputado Paulinho da Força disse que a ideia de comemorar o dia do trabalhador em conjunto surgiu em virtude do "momento do Brasil e as dificuldade das centrais sindicais".

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, na solenidade de sanção da Lei de Cadastro Positivo, em Brasília, em 8 de abril de 2019 - Sputnik Brasil
Em pronunciamento na TV, Bolsonaro pede 'espírito patriótico' por reforma da Previdência
A CUT aproveitou o Dia do Trabalhador para reforçar a campanha digital contra a Previdência proposta pela equipe de Jair Bolsonaro. 

A plataforma  batizada de "Na Pressão" permite que qualquer pessoa envie mensagens automaticamente nas redes sociais, WhatsApp e e-mail de deputados e senadores com a frase "Sr (a). Deputado (a): Vote NÃO à Reforma da Previdência! A PEC 06/2019 destrói o direito à Aposentadoria da maior parte da população brasileira. Tenha dignidade e não roube a minha aposentadoria!".

© REUTERS / Nacho DoceFilha de um sindicalista segura uma máscara representando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante uma manifestação do Dia do Trabalho em São Paulo, Brasil, em 1º de maio de 2019.
Filha de um sindicalista segura uma máscara representando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante uma manifestação do Dia do Trabalho em São Paulo, Brasil, em 1º de maio de 2019. - Sputnik Brasil
1/4
Filha de um sindicalista segura uma máscara representando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante uma manifestação do Dia do Trabalho em São Paulo, Brasil, em 1º de maio de 2019.
© REUTERS / Nacho DoceSindicalistas seguram uma faixa com "Fora Bolsonaro" durante um comício em São Paulo.
Sindicalistas seguram uma faixa com Fora Bolsonaro durante um comício em São Paulo. - Sputnik Brasil
2/4
Sindicalistas seguram uma faixa com "Fora Bolsonaro" durante um comício em São Paulo.
© REUTERS / Nacho DoceSindicalista segura uma bandeira do Brasil com a imagem do presidente do Brasil, Bolsonaro, onde se lê"vergonha", "não à reforma da previdência" e "tire as mãos dos nossos direitos" durante passeata de 1º de Maio.
Sindicalista segura uma bandeira do Brasil com a imagem do presidente do Brasil, Bolsonaro, onde se lêvergonha, não à reforma da previdência e tire as mãos dos nossos direitos durante passeata de 1º de Maio. - Sputnik Brasil
3/4
Sindicalista segura uma bandeira do Brasil com a imagem do presidente do Brasil, Bolsonaro, onde se lê"vergonha", "não à reforma da previdência" e "tire as mãos dos nossos direitos" durante passeata de 1º de Maio.
© REUTERS / Nacho DoceSindicalista segura máscara de Lula.
Sindicalista segura máscara de Lula. - Sputnik Brasil
4/4
Sindicalista segura máscara de Lula.
1/4
Filha de um sindicalista segura uma máscara representando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante uma manifestação do Dia do Trabalho em São Paulo, Brasil, em 1º de maio de 2019.
2/4
Sindicalistas seguram uma faixa com "Fora Bolsonaro" durante um comício em São Paulo.
3/4
Sindicalista segura uma bandeira do Brasil com a imagem do presidente do Brasil, Bolsonaro, onde se lê"vergonha", "não à reforma da previdência" e "tire as mãos dos nossos direitos" durante passeata de 1º de Maio.
4/4
Sindicalista segura máscara de Lula.

Durante os protestos, as duas entidades sindicais convocaram para greves gerais no dia 14 de junho.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала