Sri Lanka proíbe ideologias religiosas que preguem extremismo

© REUTERS / Dinuka LiyanawatteSri Lankan military officials stand guard in front of the St. Anthony's Shrine, Kochchikade church after an explosion in Colombo, Sri Lanka April 21, 2019.
Sri Lankan military officials stand guard in front of the St. Anthony's Shrine, Kochchikade church after an explosion in Colombo, Sri Lanka April 21, 2019. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente do Sri Lanka, Maithripala Sirisena, emitiu na terça-feira uma resolução altera o Regulamento de Emergência sob a seção 5 da Portaria de Segurança Públic para incluir a proibição de se envolver em ideologias religiosas, extremistas ou radicais.

"Nenhuma pessoa deve se envolver em pregar religiões ou ideologias extremistas e radicais que glorifiquem, encorajem, promovam ou defendam o terrorismo ou especifiquem atividades terroristas", diz a notificação.

Polícias avaliam consequências de explosão em um dos hotéis em Colombo onde ocorreu explosão, Sri Lanka - Sputnik Brasil
Mídia: Daesh pode atacar resorts na África e Ásia após atentados no Sri Lanka
O Sri Lanka também proibiu o uso de roupas que cobrem o rosto, como o niqab e a burqa, para fortalecer a segurança nacional.

As modificações acontecem após os ataques do domingo de Páscoa (21 de abril), nos quais 253 pessoas morreram e mais de 500 ficaram feridas.

Na investigação inicial e nas prisões feitas pelas agências de segurança do Sri Lanka, constatou-se que o extremismo encontrou terreno fértil na Província Oriental do país. Zahran Hashim, o principal acusado das explosões em série, pregou livremente a ideologia wahabista, que defende a morte de não-crentes no Islã e até mesmo em outros muçulmanos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала