Quão silenciosa e cruel é guerra arquitetada pelos EUA contra Venezuela?

© Marco BelloApoiador de Nicolás Maduro com cartaz "Tirem as mãos de cima da Venezuela"
Apoiador de Nicolás Maduro com cartaz Tirem as mãos de cima da Venezuela - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A morte de cerca de 40 mil venezuelanos como resultado das sanções de Washington está registrada em um estudo dos EUA. A agência Sputnik Mundo discutiu a política externa americana em relação à Venezuela com o jornalista venezuelano Iván Padilla Bravo.

Iván Padilla Bravo, em entrevista à Sputnik Mundo, denunciou "genocídio" contra o povo venezuelano, explicando que dezenas de milhares de mortos em menos de dois anos é a verdadeira face da política dos EUA em relação à Venezuela, o que não difere de uma guerra real.

Segundo o jornalista, os ataques ao sistema de fornecimento de energia da Venezuela, que afetaram quase toda a nação, só podem ser caraterizados como intervenção energética.

Além disso, ele indicou que foram provocadas as mortes de pessoas pela limitação imposta por Washington de recebimento de tratamento médico necessário e de compra de remédios, o que se difere do massacre de Hiroshima e Nagasaki apenas na forma como é realizado.

Manifestação dos partidários do autoproclamado presidente interino da Venezuela e líder da oposição, Juan Guaidó, em Caracas - Sputnik Brasil
Venezuela é laboratório dos EUA antes de 'ataques' contra Cuba e Nicarágua, diz oficial russo
"É uma guerra silenciosa, mas dramaticamente cruel, como é a maioria das guerras", afirmou. Apesar disso, segundo jornalista, a Venezuela lutará pela paz e continuará no caminho certo. Venezuela deve encontrar respostas para os desafios desta "guerra silenciosa" e, com apoio da solidariedade internacional dos povos, será capaz de resistir da política do "Império americano".

As sanções americanas visam deliberadamente destruir a economia da Venezuela e ocasionar mudança de regime. Entre as consequências das sanções econômicas, executadas pelo presidente dos EUA Donald Trump desde agosto de 2017, são estimadas cerca de 40 mil mortes, segundo o Centro de Pesquisas Econômicas e Políticas dos EUA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала