Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Putin: 'Sanções unilaterais exigem reação efetiva da comunidade internacional'

© Sputnik / Alexey Nikolsky / Abrir o banco de imagensO presidente russo, Vladimir Putin na cerimônia de abertura do 2º Fórum Um Cinturão, Uma Rota em Pequim.
O presidente russo, Vladimir Putin na cerimônia de abertura do 2º Fórum Um Cinturão, Uma Rota em Pequim. - Sputnik Brasil
Nos siga no
A declaração acontece no momento em que o presidente russo, Vladimir Putin, participa do segundo fórum internacional do Cinturão e da Estrada, em Pequim. O fórum de três dias, dedicado à iniciativa da China ao comércio e desenvolvimento de infraestrutura de transporte na Ásia, Europa, Rússia e Oriente Médio, começou na quinta-feira.

Durante o discurso na cerimônia de abertura do 2º Fórum Um Cinturão, Uma Rota, o presidente russo Putin argumentou que as sanções unilaterais são uma manifestação de protecionismo e exigem uma reação efetiva da comunidade internacional.

"É importante elaborar uma resposta eficaz aos riscos de fragmentação do espaço político, econômico e tecnológico global; ao crescimento do protecionismo com restrições unilaterais ilegítimas frequentemente utilizadas ou, pior ainda, guerras comerciais, impostas ao passar pelo Conselho de Segurança da ONU, sendo sua forma mais perigosa", disse Putin.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin discursa com sua mensagem anual à Assembleia Federal - Sputnik Brasil
Putin diz que aliança entre China e Rússia é 'fator estabilizador nos assuntos globais'
Além disso, ele destacou que a União Econômica Eurasiática liderada pela Rússia busca maior cooperação com todos os países e alianças interessados, particularmente com a China.

"A União Econômica Eurasiática está buscando garantir uma cooperação mais ampla com todos os países e alianças interessados, principalmente com a China", disse Putin na cerimônia de abertura.

O presidente acrescentou que a ideia do líder chinês Xi Jinping de integrar a iniciativa de Pequim com outras alianças internacionais se adequa aos planos da EAEU.

Durante sua visita à China, o líder russo deverá se encontrar com muitos líderes internacionais, incluindo o presidente chinês Xi Jinping, que presidirá todos os eventos do fórum.

Putin e Xi devem se concentrar na economia e na esfera humanitária, bem como sobre sua cooperação na arena internacional. Espera-se que os dois líderes troquem ideias práticas para a parceria euro-asiática, que pode incluir a Associação das Nações do Sudeste Asiático, a Organização de Cooperação de Xangai e a Comunidade Econômica da Eurásia.

Hamilton Mourão e Jair Bolsonaro. - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Bolsonaro pede e Mourão assume coordenação das relações do Brasil com Rússia e China
Também na sexta-feira, Putin se encontrará com seu colega egípcio, Abdel Fattah Sisi, que atualmente preside a União Africana. As conversas se concentrarão no desenvolvimento dos laços russo-africanos.

A agenda de Putin também inclui reuniões com o presidente sérvio Aleksandar Vucic, o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, o presidente do Chipre, Nicos Anastasiades, e a conselheira do Estado de Myanmar, Aung San Suu Kyi. As datas exatas dessas reuniões ainda não foram reveladas.

O presidente russo também deve conduzir negociações com seu colega bielorrusso, Aleksandr Lukashenko, mas não há nenhuma confirmação oficial.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала