EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

© Sputnik / Alexey Vitvitsky / Abrir o banco de imagensJohn Bolton na OTAN.
John Bolton na OTAN. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Pessoas perto do arame farpado da fronteira com a Colômbia, tentado passá-la pela ponte internacional Francisco de Paula Santander, em Ureña - Sputnik Brasil
Revista expõe falta de plano e de 'cartas' diplomáticas dos EUA na Venezuela
Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros, apoiam o presidente constitucionalmente eleito, Nicolás Maduro, criticando o amplo apoio ocidental a Guaidó.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала