Por que Rússia planeja equipar submarinos com 200 mísseis de cruzeiro Kalibr?

© AP Photo / Dmitry LovetskyUm dos maiores submarinos nucleares russos construídos ainda na época da União Soviética é o Typhoon (Akula), que continua a ser o maior do mundo com cerca de 25.000 toneladas métricas (27.500 toneladas). Visto de frente no Mar de Barents, Ártico russo, nesta fotografia de setembro de 2001
Um dos maiores submarinos nucleares russos construídos ainda na época da União Soviética é o Typhoon (Akula), que continua a ser o maior do mundo com cerca de 25.000 toneladas métricas (27.500 toneladas). Visto de frente no Mar de Barents, Ártico russo, nesta fotografia de setembro de 2001 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Segundo o vice-almirante Oleg Burtsev, a Rússia poderia equipar seus submarinos gigantes com centenas de mísseis Kalibr, Oniks e Tsirkon.

A Rússia já tem bastante experiência em modernização total de submarinos. No fim da década de 1960 três submarinos estratégicos do projeto Navaga 667 foram transformados em submarinos nucleares de ataque polivalentes. O quinto compartimento com lançadores de mísseis balísticos foi substituído por um novo, com oito tubos de torpedo. Os três navios integraram a Frota do Norte até aos anos 2000.

Um navio da Marinha russa lança o míssil Kalibr contra as posições do grupo terrorista Frente Al-Nusra no mar Mediterrâneo (foto do arquivo) - Sputnik Brasil
Especialistas dos EUA estão 'preocupados' com novo míssil russo de alta precisão Kalibr-M
Entretanto, o efeito da modernização dos Akula poderia ser ainda maior, revelam especialistas ao portal Military Watch Magazine. Equipados com cerca de 200 mísseis Kalibr, os submarinos são capazes de neutralizar um grupo de porta-aviões com todos os seus cruzadores e destróieres. A versão antissubmarino dos Kalibr atinge uma velocidade de 3 Mach (cerca de 3.579 quilômetros por hora) o que dificulta sua intercepção. Os mísseis podem ser direcionados a partir do submarino, bem como por designação externa, por exemplo, por aviões. 

Além disso, os Akula podem ser equipados com mísseis supersônicos Oniks e mísseis hipersônicos Tsirkon.

"Esse míssil [Tsirkon], muito mais rápido, manobrável e preciso, tornará o submarino em uma ameaça ainda mais séria para os navios inimigos. Ele permitirá realizar ataques a maiores distâncias, permitindo ao Akula ficar em uma posição relativamente segura frente ao ataque de resposta", revelou o portal.

Os EUA também estão modernizando sua frota submarina. Por exemplo, nos quatro submarinos nucleares americanos da classe Ohio foram retirados os mísseis balísticos Trident I e foram substituídos os lançadores de mísseis. Agora cada submarino modernizado pode carregar 154 mísseis Tomahawk.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала