Mogherini: UE não planeja ampliar sanções a Venezuela, mas pode mirar autoridades

Nos siga noTelegram
A União Europeia não pretende aplicar sanções contra a Venezuela, embora os Estados-possam podem ponderar restrições a indivíduos, disse a chefe de política externa da UE, Federica Mogherini nesta segunda-feira.

"A União Europeia não tem sanções contra a Venezuela e não está considerando impor sanções à Venezuela. Nós temos como alvo restrições individuais, medidas sobre indivíduos… É possível, não está excluído que os Estados-membros considerem outras medidas restritas a indivíduos de natureza semelhante", disse Mogherini a repórteres após reunião do Conselho de Relações Exteriores.

Protestas en Caracas, Venezuela - Sputnik Brasil
UE condena uso excessivo da força pelas autoridades durante protestos na Venezuela
A chefe de política externa da UE enfatizou ainda que as sanções atualmente em vigor não afetam o povo venezuelano.

Depois de novembro, a União Europeia renovou as sanções por um ano, até 14 de novembro de 2019. A situação na Venezuela piorou em janeiro, quando o líder da oposição Juan Guaidó se proclamou o "presidente interino" do país. Vários Estados da UE, bem como os Estados Unidos, apoiaram a reivindicação de Guaidó pela liderança. Rússia, China, Cuba e outros Estados apoiaram o atual presidente Nicolas Maduro.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала