Especialista: EUA impõem aos países da OTAN suas armas e estas não são das melhores

© Sputnik / Stanislav Saveliev / Abrir o banco de imagensDemonstração de material militar da OTAN
Demonstração de material militar da OTAN - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A OTAN tornou-se um clube de receptores de armas dos Estados Unidos, disse um ex-ministro da República Tcheca. O especialista Oleg Glazunov, da Associação de Cientistas Políticos Militares, comentou esta afirmação para a rádio Sputnik.

O antigo ministro dos serviços secretos da República Tcheca Jaroslav Basta explicou à Sputnik a decisão do seu país de aderir à OTAN em 1999 e descreveu como a aliança se tinha tornado um "clube de receptores de armas americanas".

A OTAN celebra o seu 70º aniversário em 4 de abril. Há vinte anos, em março de 1999, a esta aliança se juntaram, pela primeira vez, Estados do antigo Pacto de Varsóvia: a República Tcheca, a Polônia e a Hungria. Basta falou sobre os motivos de Praga na altura.

"O fato é que a política tcheca é perseguida por dois traumas históricos. O primeiro é o Acordo de Munique de 1938, com a participação tanto dos nossos inimigos e como dos aliados de então. O segundo foi a invasão da Tchecoslováquia pelos exércitos de 5 países socialistas em agosto de 1968. Com isto em mente, votámos a favor da adesão à OTAN", disse Basta.

A bandeira da OTAN vista através de cerca farpada em frente à nova sede da OTAN em Bruxelas, maio de 2017 - Sputnik Brasil
70 anos da OTAN: será que aliança está se tornando obsoleta e enfrenta problemas graves?
Quatorze dias depois do alargamento da aliança aos recém-chegados da Europa Oriental, teve início a operação militar da OTAN contra a Iugoslávia, na qual a República Tcheca foi forçada a participar.

"No mês passado, o presidente tcheco, Milos Zeman, que era primeiro-ministro do nosso governo em 1999, afirmou que o nosso envolvimento na guerra da Iugoslávia foi um erro. Concordo absolutamente com ele", diz Basta.

Na opinião dele, durante o novo alargamento a OTAN se transformou da organização de defesa mais bem-sucedida da história moderna em uma organização política com relações de aliança assimétricas.

"Em alguns de seus discursos, o atual presidente dos EUA, Donald Trump, reduziu a OTAN a um clube de receptores de armas e assistência militar dos EUA. A afiliação neste clube está condicionada a gastos militares no valor de 2-4% do PIB de cada país", disse Basta.

Presidente dos EUA, Donald Trump em frente à logo da OTAN. - Sputnik Brasil
Trump insta nações da OTAN a aumentarem ainda mais os gastos com defesa
Oleg Glazunov, especialista da Associação de Cientistas Políticos Militares e professor da Universidade Estatal de Economia da Rússia Plekhanov, comentou esta afirmação para o serviço russo da rádio Sputnik.

"Esta afirmação é, em princípio, completamente verdadeira. Os EUA impõem suas próprias armas a todos os países que fazem parte do bloco da OTAN, nem sempre confiáveis e nem sempre modernas como, por exemplo, os sistemas americanos de defesa antiaérea Patriot."

Glazunov explica que os sistemas antiaéreos russos S-400 são melhores, entretanto a Rússia já dispõe de S-500, mais avançados. Segundo o especialista, os EUA impõem as versões de menor qualidade das suas armas a todos os países, e inclusive exercem pressão, por exemplo, sobre a Turquia para que não compre armas à Rússia sendo um país membro da OTAN. Os EUA estão tentando expulsar a Rússia dos principais mercados de armamentos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала