Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Liquidando líder ou invadindo militarmente: possíveis cenários dos EUA na Venezuela

© AP Photo / Marco Di LauroMilitares americanos (imagem referencial)
Militares americanos (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga no
Uma invasão norte-americana à Venezuela é improvável, mas possíveis tentativas de eliminar o líder do país, Nicolás Maduro, são possíveis, afirmou Konstantin Blokhin, cientista político do Centro de Pesquisa dos Problemas de Segurança da Academia de Ciências da Rússia.

"Uma intervenção militar dos EUA na Venezuela é improvável. O próprio Donald Trump não é um apoiante da intervenção militar", disse Blokhin durante mesa redonda.

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, com uma cópia da Constituição - Sputnik Brasil
Maduro acusa EUA e Guaidó de arquitetar seu assassinato
Além disso, o especialista observou que os Estados Unidos não querem organizar intervenção militar na Venezuela por temerem que se torne um conflito duradouro, como ocorreu no Vietnã.

"Em segundo lugar, há o risco de os americanos ficarem presos lá. E a Venezuela se transformaria para norte-americanos em um segundo Vietnã, sendo esse latino-americano. Não é fato que eles sejam capazes de agir efetivamente lá", acrescentou Blokhin.

Outra razão, segundo o especialista, é que uma invasão americana poderia consolidar todas as forças antiamericanas do país."Portanto, acredito que eles podem tentar alcançar seus objetivos por outras mãos, por exemplo, através da Colômbia, que é um país fortemente influenciado pelos EUA."

Juan Guaidó, opositor venezuelano - Sputnik Brasil
Qual é a tarefa principal da oposição venezuelana? Especialista indica
Ele também acredita que os EUA possam organizar uma operação especial limitada para eliminar Nicolás Maduro. "Esse cenário eu não deixaria de fora, por mais improvável que possa parecer. Como a história mostra, esse é o método de ação favorito dos EUA", disse o especialista.

Em 21 de janeiro, na Venezuela começaram protestos em massa contra o presidente Nicolás Maduro, logo após tomada de posse. Juan Guaidó, o presidente da Assembleia Geral venezuelana, se declarou ilegalmente presidente interino do país. Vários países ocidentais, liderados pelos EUA, anunciaram o reconhecimento de Guaidó. Rússia, China e vários outros países apoiam Maduro como presidente legítimo.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала